Arquivo -janeiro 2015

1
Sobre Uma Longa Queda
2
O Irresistível Café de Cupcakes
3
Clube do Livro – Uma parceria entre amigos
4
Jardim Secreto – Johanna Basford
5
After
6
Infinity Ring: A Maldição dos Ancestrais
7
Tatuagem Literária – A difícil tarefa de escolher uma
8
Aventuras Pela Literatura Nacional, por Mari Rodrigues
9
Infinity Ring – O Alçapão
10
Mentirosos

Sobre Uma Longa Queda

Desde que li Uma Longa Queda, o lance dos três meses não saem da minha cabeça. E parece fazer tanto sentido. Tenho dividido as coisas em ciclos de três meses. É estranho; mas parece funcionar. Três meses atrás, aquela chateação enorme não é mais um gigante da neve. Em contra partida, há outra bola de neve se formando. E, daqui três meses, as coisas vão mudar novamente. Então… Vou esperar outros três meses e ver no que dá – aquilo que não posso mudar agora e tal. O que eu posso mudar, vou tentar. E, se eu não conseguir, tento de novo ou espero um tempo. Depende. A gente caminha mesmo sem perceber a maioria das vezes –.   “(…) Tinha um cara lá que dizia que o período de crise dura noventa dias.” (…) “E o que acontece depois dos noventa dias?” “Nada acontece”, falei. “É só que… as coisas já estão diferentes. Mudam. Aquele arranjo específico que colocava tudo de um jeito que te fazia pensar que a vida era insuportável… De alguma forma esse arranjo mudou. É meio que uma espécie de versão vida real da astrologia.” (…) “(…) Três meses parece uma boa medida. Três meses são, tipo, uma estação.” “Exatamente uma estação”, concordei. (Trechos de Uma Longa Queda; páginas 239, 240 e 241) Esse livro teve um impacto tão grande na minha vida; mas ainda estou descobrindo isso. Vez ou outra, relembro algumas coisas dele e fazem tanto sentido. Não relembro exatamente a história ou o que as personagens estavam fazendo,[…]

Leia mais

O Irresistível Café de Cupcakes

Ellen é uma pessoa bem sucedida: carreira estável na advocacia, prestes a se casar com um cara incrível, que a ama e que é brilhante. Não tem como sua vida ser melhor. Até que ela é surpreendida com a noticia de que sua avó, uma das pessoas a qual ela era mais apegada no mundo, morreu. Antes de morrer, sua avó lhe pede que ela vá a Bacon, a cidade onde viveu, e entregue uma carta destinada a um grande amor de sua juventude. Logo na semana seguinte, Ellen viaja ao encontro de Chet Cummings, a pessoa a quem deveria entregar a carta. Na cidade, Ellen acaba se envolvendo em um acidente. Ela vai a um pier para fotografar a paisagem, e as tábuas aonde pisa se corroem, fazendo com que ela caia no mar. Ellen é uma ótima nadadora mas, em pânico, ela acaba por ser afogar. Até que Roy chega e a salva. <3 A viagem se mostra menos simples do que ela imaginava – entregar a carta não é fácil, encontrar o destinatário muito menos – e, por isso, ela é obrigada a esticar sua estadia em Bacon. Só que, nesse meio tempo, ela acaba esbarrando com Roy mais vezes. O carpinteiro que salva a sua vida começa a fazer parte de seus dias – e Ellen começa a se ver frente à dúvidas e questionamentos que nunca teve. O  ritmo da história me lembra um pouco os livros mais antigos do Nicholas Sparks: narrativa lenta, cenário interiorano, personagens simples. É tudo muito bem construído e tranquilo, nada de cenas[…]

Leia mais

Clube do Livro – Uma parceria entre amigos

Em uma conversa de blogueiros e amigos, logo na primeira semana de janeiro, criamos o ‘Clube do Livro’. Todo mês vamos escolher um livro para ser debatido entre os membros do grupo, em um tópico específico, no Facebook. Todo dia 15 de cada mês será realizada uma votação para definir o livro do próximo mês. Lembrando que caso não possa participar de uma leitura do mês, não tem problema, os tópicos serão mantidos no grupo para a “eternidade” e podem continuar recebendo comentários. Se você gostou, vai participar e quer ajudar a divulgar, pode encontrar as imagens de divulgação na sessão “arquivos”do grupo. O primeiro livro escolhido foi “O Chamado Cuco”, de Robert Galbraith (a.k.a. J. K. Rowling).

Leia mais

Jardim Secreto – Johanna Basford

Quem nunca teve um dia estressante que atire a primeira pedra! rs

Pensando em aliviar as tensões do dia-a-dia, de forma interativa e criativa, a Editora Sextante publicou, no final do ano passado, o livro Jardim Secreto, idealizado pela autora Johanna Basford. Na onda dos livros destruidores e cia ilimitada, a editora vem com uma proposta um pouquinho diferente e muito mais interessante, se me permitem o comentário!

Jardim Secreto é um livro fofo, daqueles que você passa horas e mais horas colorindo, de bem com a vida, dando asas à sua imaginação e criatividade. Além dos desenhos para colorir, Johanna ainda criou uma espécie de Caça ao Tesouro Antiestresse, onde o leitor-pintor tem que encontrar alguns animais, flores e objetos em meio à pintura.

Eu mais do que recomendo esse livro. Em dias turbulentos, onde você não quer falar com ninguém, querendo ficar mais na sua, é a pedida. Jardim Secreto é altamente relaxante e divertido. Posso garantir que você não vai sentir o tempo passar e ainda vai descobrir um artista, escondidinho, em você! Eu estou descobrindo o meu! rsrs

Além disso, dando uma olhadinha em alguns trabalhos na internet, encontrei o site da Terapeuta Ana Leite, que usa o livro com adultos portadores da doença de Alzheimer e pacientes com déficit de atenção. Quem quiser conhecer o site dela e ler a postagem na íntegra, basta clicar aqui. Vale a pena conferir! =)

Caso você já tenha adquirido ou venha a adquirir essa gostosura, não deixe de compartilhar sua arte com a gente. Basta postar sua fotinho com a hashtag #JardimSecreto! Aos pouquinhos, vou postar as minhas fotos no Instagram do blog!

Boa pintura, galerinha!

jardim secreto

 

 

 

 

After

Grande parte das vezes em que escolho um livro não é por causa da sinopse ou do gênero, mas sim por ligar o livro à fama de quem escreveu ou assunto que o mesmo aborda. E After não poderia passar, afinal, é a fanfic inspirada na boyband mais famosa dos últimos tempos: One Direction. Quem é fã sempre vai visitar ou escrever fanfics relacionadas aos seus ídolos, eu mesma não fujo desta regra. É na fanfic que surge a possibilidade de transformar o ídolo inacessível, que fica coladoem um pôster de seu quarto, em seu amigo(a) ou namorado(a). Saber do lançamento de After e ver os números relacionados à sua fama me causou comoção de ver uma fanfic sendo reconhecida no meio literário, entretanto, os altos números me fizeram esquecer algo importante: Quantidade não é qualidade! After pertence ao gênero New Adult e sem abandonar o clichê do gênero e abertura do mundo ficcional de que uma fã pode estudar com seu ídolo, Anna Todd ambienta seu livro no primeiro ano de faculdade de Tessa. Tessa é a típica jovem que nunca errou na vida. Sempre buscando ser a filha perfeita, com as melhores notas, roupas simples e um namorado extremamente conservador. Tessa nunca se destacou mesmo namorando um jogador e, na faculdade, suas “algemas” caem ao conhecer o bad boy que vai lhe ensinar a curtir a vida. Hardin é o bad boy que se destaca por causa das suas tatuagens e piercing, deixando evidente o seu estilo punk – que também é refletido[…]

Leia mais

Infinity Ring: A Maldição dos Ancestrais

A Maldição dos Ancestrais é o quarto volume da série Infinity Ring e foi escrito pelo autor Matt De La Peña. Confesso que nunca tinha lido nada do autor e a primeira impressão foi muito boa. Se eu achei O Alçapão um tanto morno, esse livro veio com toda a ação que faltou ao anterior e me fisgou logo nas primeiras páginas. Em A Maldição dos Ancestrais, Sera, Dak e Riq vão parar no antigo Império Maia e, diferentemente dos outros livros onde eles ficavam em apenas uma Fratura, um tempo por vez, Matt De La Peña inovou e conseguiu, magistralmente, levar nossos “historiadores” a dois tempos diferentes do Império Maia. Com uma trama mais focada em cada uma das personagens individualmente, Matt traz à tona medos e fantasmas interiores dos três jovens: um Riq apaixonado e dividido, uma Sera cada vez mais aterrorizada pelas visões que teve do Cataclismo e um Dak ainda mais “aborrecente”, o trio terá que lidar de forma mais madura com todas essas novidades impostas pelas viagens e Fraturas. Nesse quarto livro, fica tangível o amadurecimento das personagens, exceto do entusiasmado Dak, ele ainda continua tirando os amigos – e, às vezes, os leitores – do sério. A meu ver, ele é ainda a personagem que precisa amadurecer um pouquinho mais; porém, pode perder aquela essência brincalhona e descontraída que lhe é singular, que traz certa leveza aos enigmas que os jovens devem enfrentar para proteger o mundo da SQ. Como vem acontecendo nos demais volumes da série, A Maldição[…]

Leia mais

Tatuagem Literária – A difícil tarefa de escolher uma

Olá Galerinha!!! O post de hoje é para papearmos sobre Tatuagens Literárias, ou seja, inspiradas em livros!!! <3 Quem acompanha o blog há algum tempinho, deve saber que eu já tenho duas tattoos – em homenagem aos meus pais – e, desde o ano passado, estou pensando em fazer mais uma, pelo menos. rsrs Eu não vejo problema em tatuar o corpo, desde que conscientemente. Quando a gente decide fazer uma tatuagem, tem que ter em mente que é pra vida toda (ainda que hoje existam maneiras meeeeega doloridas para remoção). No meu caso, eu sabia que nunca me arrependeria de deixar marcado em minha pele o meu amor pelos meus pais. A minha primeira tatuagem eu fiz em 2006, pouco mais de um ano depois do falecimento da minha mãe. Aliás, minha mamuska vivia dizendo que eu era uma “parida” (que sofre e chora por qualquer coisinha, qualquer dorzinha), que ela não queria nem imaginar no dia em que eu fosse dar a luz, que eu ia tocar o terror na maternidade! Mostrei que ela estava errada, né?! rsrs Minha mãe foi uma guerreira. Sempre. E eu queria uma tattoo fofa e, ao mesmo tempo, imponente. Nessa época, em 2006, eu ainda jogava RPG online, mais precisamente, Ragnarok, e um dos meus irmãos é que me deu a ideia de usar a minha bonequinha, a Arqueira, para representar a nossa guerreira, a nossa estrela. Pois bem, essa foi a minha primeira tatuagem, com a Arqueira e o apelido de infância da minha velhinha embaixo,[…]

Leia mais

Aventuras Pela Literatura Nacional, por Mari Rodrigues

OI, GENTE! Final de 2014, a Nica estava mudando de casa e eu, de cidade; ou seja, a GVT foi mais malvada comigo. Demorou; mas agora tenho internet e ainda não é (tão) tarde para desejar um SUPER FELIZ 2015 PARA VOCÊS, PESSOAS LINDAS! 2015 é um ano novinho e estou empolgada! Hoje, temos um texto da Mari Rodrigues contando um pouquinho da sua experiência com os livros nacionais no ano de 2014. Ela comentou no twitter que teve uma experiência muito legal com as leituras brasileiras então pedi para que a compartilhasse com a gente. 🙂 A @marifrenia é uma fofa e você pode ver alguns trabalhos dela aqui e aqui. Caso queira compartilhar suas experiências com os livros, autores e/ou eventos nacionais é só comentar no post e/ou entrar em contato. Vai ser um prazer dividir esse espaço com você! ♥ Sempre começo o ano me propondo algum desafio literário. No início de 2014 comecei vários. Alguns cheguei até o final, enquanto outros acabei morrendo na praia. Um dos objetivos era ler a maior quantidade possível de livros nacionais – contando que eu tinha leituras para o tcc e de sagas que já havia começado para terminar.  Mas não queria que essas leituras fossem baseadas só nos clássicos da nossa literatura. Apesar de adorar vários, acho que já tive uma dose suficiente deles durante o ensino médio. Não, eu queria explorar áreas da literatura nacional que eu ainda não tinha lido. Algo mais fresco. Tudo isso resultou em 10 livros, tanto em formato digital quanto físico. Vamos aos meus preferidos. A Ilha dos Dissidentes,[…]

Leia mais

Infinity Ring – O Alçapão

O Alçapão é o terceiro volume da série Infinity Ring, composta por sete livros e escrita a seis mãos. Este terceiro volume foi escrito por Lisa McMann, autora de uma das minhas trilogias favoritas, Wake. Infelizmente, essa trilogia não fez tanto sucesso aqui no Brasil, acredito que muito por má divulgação, porém, quem tiver curiosidade, vale a pena dar uma olhadinha aqui (link em inglês) e descobrir sobre esse Young Adult. Um pouco mais confuso e deixando para tratar das Fraturas quase no final do livro, O Alçapão, se comparado aos dois primeiros volumes da série, deixa a desejar em alguns quesitos – o que me deixou um tantinho triste, eu estava com as expectativas lá no alto por conta da autora. Infinity Ring é uma série juvenil, mas que muito me encanta por ser leve e abordar um assunto que eu curto muito desde os tempos de De Volta para o Futuro: viagem no tempo. Porém, foi exatamente desse elemento, em particular, que eu senti falta. O Alçapãoficou parecendo mais um romance histórico. Mas, calma galerinha, não ficou ruim… Até porque os romances que aconteceram foram muito fofos, daqueles que nos balançam. Aliás, o ponto alto desse terceiro volume foi poder conhecer melhor uma das personagens do trio de “historiadores”, Riq, o jovem que se uniu aos amigos Dak e Sera para corrigir as Fraturas causadas pela temida e manipuladora SQ. Dessa vez, o Anel do Infinito os leva a alguns anos antes da Guerra Civil e época da escravidão. Até então, os leitores tinham Riq como uma personagem mais secundária. Lisa mudou isso e chamou a atenção para a importância dele na história. Um[…]

Leia mais

Mentirosos

Começar a resenha de um livro que gostamos, é sempre tarefa complicada. Escrever a resenha de um livro que nos levou às lágrimas e uma noite de insônia tamanho o carrossel de emoções que o mesmo possui, é tarefa pior. Mentirosos é um romance sofisticado, com sua dose magistral de suspense e drama. Narrado através do ponto de vista da personagem Cadence Sinclair, uma jovem de 17 anos que sofre com fortes enxaquecas depois do verão dos 15, Mentirosos nos traz momentos passados e presentes desses verões, fazendo com que o leitor viaje em uma busca emocionante e eletrizante, junto à essa personagem. A narrativa intercalada entre o que aconteceu e o presente, acaba fornecendo ao leitor uma história mais detalhada sobre a família Sinclair, seus segredos e fantasmas. Além disso, conheceremos as verdadeiras motivações (e caráter) de Cady para descobrir o que aconteceu, de verdade, com ela e os outros Mentirosos – seus primos Mirren e Johnny, e o amigo quase primo de Johnny, Gat. Realista e contemporâneo, Mentirosos é uma verdadeira montanha russa. Começamos o livro acreditando em uma coisa e o terminamos em pedaços, destruídos emocionalmente. E. Lockhartsimplesmente consegue prender a nossa atenção aos jovens mentirosos, seus pais e avós, além de nos envolver com os dramas da família Sinclair, em particular. Receio não poder ir mais além no plot e nem no desenrolar da trama. Contudo, posso afirmar que E. Lockhart e seus Mentirosos são geniais, emocionalmente arrebatadores, e vão nos levar a um questionamento interior daqueles que te faz ficar a noite inteira pensando e repensando nos acontecimentos inesperados que um simples verão pode ocasionar. Mentirosos nos faz questionar[…]

Leia mais

Copyright © 2011-2015. Desenvolvido por String - Tecnologia e Web.