Arquivo -09/04/2015

1
Perdida, por Anna Oliveira & Bruno Luiz Mattos

Perdida, por Anna Oliveira & Bruno Luiz Mattos

Sempre, dos primeiros até os últimos segundos da vida, seremos desafiados. Cada um terá sua guerra interior. E serão várias. Uma guerra é sempre algo disruptivo, muda totalmente várias coisas. Nesse processo de mudança é normal sentir-se perdido, questionar os valores e toda a vida até aquele momento. É justo. Mas não é justo se entregar, virar refém, se jogar no porão e ficar preso. Justo é produzir. Justo é vencer! Com essa mistura de sentimentos, eu e a Anna criamos uma poesia que retrata essa busca para sair dos cantos sombrios de uma guerra e ganhar. Pois, no fundo, só existimos porque somos vencedores.   Perdida Ela está perdida olha o mar e deseja surfar.   Procura a prancha – ela sabe onde encontrar. Agora é pra valer ela não vai mais voltar para aqueles lugares proibidos, com lembranças que a fazem chorar.   O que é surfar? Não é cair e se afogar? É perder ondas, aprender brincar.   Ela não está mais perdida ela está aproveitando a vida. Aprendendo surfar conquistando o horizonte indo além do que pode imaginar   Peguem a prancha de vocês e vão surfar. 😉

Leia mais

Copyright © 2011-2015. Desenvolvido por String - Tecnologia e Web.