A Sensação de Estar Mais Perto

Oi, gente! Todos já montaram a árvore de Natal e limparam a chaminé para a chegada do Papai Noel? 😛 Não sei o porquê, mas esse clima de final de ano só chega em mim depois do dia 20… Quais livros pediram? Acho que vou pedir tempo e dinheiro ao invés de livros. Vai ser um bom negócio também (haha).

Agora, chega de enrolar. Na verdade, hoje só quero bater papo mesmo. Já disse que adoro os comentários de vocês? Às vezes, demoro a responder um pouquinho, mas eu sempre leio com um sorriso no rosto.

Sabe qual é uma das coisas que mais gosto na literatura nacional? A proximidade do leitor com o autor. É incrível a possibilidade do contato direto, rápido e “na hora” com os autores. Nem todos ficam online sempre, mas eles costumam te dar uma atenção muito legal. Os autores estrangeiros também fazem isso, mas… Não é todo mundo que fala inglês e/ou outra língua, certo?

Além disso, tem aquela mágica envolvendo a cultura. Por exemplo, o café da manhã aqui é pão com margarina/manteiga e lá nos EUA é ovos e bacon. Tem a questão do ano letivo escolar também. E de como são as aulas e as amizades nesse ambiente. E os nomes e várias outras coisas que são mais próximas da nossa realidade.

Esses dias, terminei a leitura de um livro lá no wattpad e foi outro mix de experiências legais. Para quem não sabe, o wattpad é uma plataforma para autores publicarem suas histórias conforme escrevem (ou as que já estão finalizadas) e terem contato direto com os leitores. Eu poderia fazer uma lista de coisas legais sobre aquele lugar, mas perderia o foco.

O livro que li é uma série prevista para ter 05 volumes ao todo, mas… A autora ainda está escrevendo o terceiro! Li o primeiro volume de O Diário (Nada) Secreto, da Larissa Siriani. Há alguns meses, acompanhava a história pelo blog da Larissa. Todo primeiro domingo do mês, ela postava um capítulo. E assim fui lendo até que criei vergonha na cara (aliás, foi por curiosidade! Muita curiosidade!!!) e parei de esperar o mês seguinte para a sequência. Enquanto eu lia, enchia a @LarissaSiriani de mentions e a gente proseava sobre as possibilidades, as personagens e a nostalgia do ensino médio.

O Diario (Nada) Secreto é um livro super leve, tranquilo e dramático. A dona do diário, Lolita (o nome dela é outro, mas… Ela detesta aquele nome e você só descobrirá qual é se ler u.u), é muito divertida e azarada. Esse é o tipo de livro que você começa a ler pra passar o tempo, descontrair e, de repente, se vê ansioso para os próximos capítulos. Pelo que sei, a ideia é cada volume da série ser um ano.

No volume 01, ela está no primeiro ano do Ensino Médio e tem toda aquela pressão: garotos, estudos e amizades. Além das duas primas totalmente mais bonitas terem acabado de se mudar para São Paulo. Quem não tem aquela prima ou aquele primo que te deixa no chinelo? Poisé! E esses mesmos primos podem pensar a mesma coisa ao seu respeito. Nunca se sabe. É a vida. A gente sempre acha a grama do vizinho bem mais verde. Ainda não comecei a ler o segundo, mas acho que vou encher ainda mais as mentions da Larissa porque… Segundo ano é segundo ano: o mais complicado na minha opinião.

Existe também aquele caso em que você não curte muito o livro, mas ama o autor. Eu não gostei de Garota Replay, mas… tem como não amar a Tammy Luciano? Ela é uma das autoras nacionais que mais gosto. Principalmente, por ser totalmente apaixonada pelas palavras, pela escrita, pelo que faz. Pretendo ler Claro que te amo! e espero muito que a Piera seja mais legal que a Thizi. Quem ai já leu? O que achou?

Outra coisa legal é que você pode comprar livros com o próprio autor (nem todos, claro). Livros autografados e, de brinde, receber um marcador de origami fofo. Sim! Eu comprei meu exemplar de Quero Ser Beth Levitt com a Samanta Holtz. <3 Isso foi muito incrivelmente legal. Muito mesmo. Pra quem não sabe, O Pássaro é meu livro favorito. Então vocês devem imaginar o quanto isso foi realmente incrível pra mim, rs. Alguém mais aproveitou aquela promoção? E quem já leu? O que achou? (sem spoilers nos comentários, por favor!).

E, só mais uma coisa… Descobri que tem dois autores aqui na minha cidade! 😉 Nunca li o livro deles, mas espero ter a oportunidade um dia.

Enfim. De algum modo, me sinto bem mais próxima dos autores nacionais. Seja pela linguagem, pela facilidade de bater papo com eles virtual e/ou pessoalmente, pela localização… Sei lá. É um sentimento gostoso e um sonho enorme conhecer vários autores brasileiros.

Você também sente isso? Percebe essa diferença, essa proximidade com a obra e o autor nacional? Ou você acha que é tudo psicológico e eu viajei? 😛

Comentem, seus bonitinhos! E deem sugestões para as próximas colunas. Esse espaço é de vocês também. Fiquem à vontade. 🙂

Beijinhos, boas festas e até o ano que vem. Nem tanto. Vou estar aqui respondendo os comentários de vocês. E podem me chamar no twitter (@algumaanna) qualquer hora! 😀

Porque conversar sobre livros nunca é demais. <3

Sobre o autor

Anna Oliveira
Anna Oliveira

Cristã, formada em Marketing e em Gestão de Projetos. Escreve todos os dias, é apaixonada pela língua portuguesa e não vive sem o Duke, um vira-lata ciumento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar esses marcadores HTML e seus atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Copyright © 2011-2015. Desenvolvido por String - Tecnologia e Web.