Amor Sem Limites

  • Twitter
  • Facebook
  • Google+

No final de Tentação Sem Limites, Abbi Glines me deixou bastante curiosa para a conclusão da conturbada história entre Blaire e Rush, o bad boy em recuperação. Entre idas e vindas, finalmente, o leitor acredita que Rush tomou tenência e vai parar de dar atenção desnecessária à sua irmã, a metida e mimada Nanette. Mas, não…

Mais uma vez, Rush se deixa envolver pelas armadilhas, digo, artimanhas da irmã, colocando Blaire e o fruto desse amor em segundo plano. E isso, galerinha, foi o que me fez sentir, pela primeira vez, raiva das personagens que tanto me conquistaram nos livros anteriores! Nem a letra de Fallen Too Far (linda!!!! <3), música que ele compôs para Blaire, conseguiu aliviar a vontade de dar umas boas sacudidelas nele! rsrs

20141021_102337

Como esse é o terceiro livro da trilogia Sem Limites, recomendo que, caso você ainda não tenha lido PaixãoSem Limites e Tentação Sem Limites, dê uma olhadinha nas resenhas. Prometo que não vou soltar spoilers aqui, mas é sempre bom se colocar a par dos últimos acontecimentos. Contudo, se você vem acompanhando o dramalhão mexicano como eu, pode se preparar para ter mais doses de verdades reveladas, reviravoltas que chegam a ser cômicas e Rush sendo… bem, Rush.

Fã assumida do bad boy, confesso que fiquei decepcionada ao reencontrar aquele velho Rush Finlay, cachorrinho nas mãos da Nanette que, Deus me livre, eu já tinha mandado para aquele lugar. Sério. Não sei como ele conseguiu, depois de tudo que ele e Blaire passaram no segundo livro, cair no mesmo erro.

(In)Felizmente, a vida nos ensina que nem sempre podemos estar perto de quem amamos e nem sempre é o melhor também. A distância, às vezes, favorece e mantém o que há de melhor nas relações. Rush valorizava o egoísmo de Nan. Ela, por sua vez, fazia com que Rush ficasse cego e compadecido por alguém que merecia era ter levado umas boas palmadas para aprender a valorizar as pessoas que amam verdadeiramente, sem interesses. (E eu odeio pessoas que se fazem de coitadinhas! Argh!)

20141021_102244

Blaire também me irritou. Céus! Ela estava grávida dele e continuava deixando Nan interferir, continuava querendo ajudar!!! Não que as pessoas não mereçam segundas chances… mas, nesse caso, era perda de tempo. Blaire se mostrou, novamente, apática e sem atitude em momentos que, honestamente, eu já tinha gritado “Basta!”. Ainda mais depois de todo o sofrimento causado por conta dos pais de Rush, das armações e provocações de Nanette… Pelo amor, é gostar demais de sofrer e ser trouxa.

Mas, antes que me atirem pedras, tirando essa fraqueza de personalidade acentuada em Amor Sem Limites, eu gostei do desfecho que Abbi Glines deu ao casal e de ter podido aproveitar mais alguns personagens secundários. Principalmente, um chamado Grant! Ele apareceu bem mais e pudemos ver o lado dele de alguns fatos. E, claro, as cenas calientes ainda estavam lá, tirando um pouco o peso da falta de atitude e amadurecimento, de certa forma, de Blaire e Rush.

20141021_102415

A narrativa também foi outro ponto que contou bastante. Ainda que as personagens tenham me causado certa irritação, Abbi mantém o ritmo ágil e fluído, nos mantendo ligados à história e aos acontecimentos. Principalmente, os fofos! Sim, eles acontecem, galerinha! rsrs

A Arqueiro continua de parabéns pela diagramação e cuidado com a revisão. Além de manter o padrão das capas, algo que andam mudando que nem roupa ultimamente…

Amor Sem Limites é um livro leve, de leitura rápida, mas morno. Sem grandes surpresas, chegamos à conclusão da montanha russa de acontecimentos e reviravoltas que foi a história de Blaire e Rush Finlay. E, apesar de esse livro não ter me encantado tanto quanto os outros, se você é fã de New Adult e procura algo leve e divertido, recomendo essa trilogia sim! <3

Leave a Reply

Your email address will not be published.
Required fields are marked *