Amy & Matthew

Book

Amy e Matthew não se conheciam realmente. Não eram amigos. Matthew sabia quem ela era, claro, mas ele também sabia quem eram várias outras pessoas que não eram seus amigos. Amy tinha uma eterna fachada de felicidade estampada em seu rosto, mesmo tendo uma debilitante deficiência que restringe seus movimentos. Matthew nunca planejou contar a Amy o que pensava, mas depois que a diz para enxergar a realidade e parar de se enganar, ela percebe que é exatamente de alguém assim que precisa. À medida que passam mais tempo juntos, Amy descobre que Matthew também tem seus problemas e segredos, e decide tentar ajudá-lo da mesma forma que ele a ajudou. E quando a relação que começou como uma amizade se transforma em outra coisa que nenhum dos dois esperava (ou sabe definir), eles percebem que falam tudo um para o outro... exceto o que mais importa.

Faz algumas semanas em que participei da maratona literária e ainda quando penso em Amy & Matthew me lembro das sensações que o livro me causou. Fiquei apaixonada, decepcionada, esperanças surgiram e ao mesmo tempo foram levadas, mas não vale deixar de acreditar em um novo recomeço e Cammie McGovern representou isso bem através dos seus personagens.

Processed with VSCOcam

Antes que se perguntem se o livro é igual a Eleanor & Park, sinto informar, porém este continua presente na minha lista para futuras compras. Mas com algumas pesquisas, acredito que por ter o nome dos protagonistas estampados na capa cria referência um sobre o outro, mas as histórias contém diferenças.

Amy não é como todas as meninas e faz questão de mostrar que isso a torna alguém feliz. Matthew não é feliz, mas faz o possível para que ninguém descubra. Amy tem suas dificuldades expostas 24 horas por dia e isso faz com que as pessoas se afastem constantemente, transformando seu ambiente escolar em algo entediante. Ao invés de ouvir fofocas dos amigos, passa grande parte se escondendo na sala dos professores. Matthew anda livremente e tem a oportunidade de almoçar com os colegas de classes, mas quem quer estar ao seu lado? Dois universos completamente diferente, mas que ao se colidirem acabam encontrando suas semelhanças.

Criar uma definição sobre o surgimento da amizade de Amy & Matthew é desenvolver um flashback de tristeza e alegrias. Amy é uma personagem inteligente, a escola nunca foi um problema, a questão é que a deficiência acabou debilitando sua comunicação e precisava utilizar constantemente um “computador” como se fosse sua voz. Diante da situação, Amy sempre utilizou textos para expressar sua felicidade ou como Matthew entende: Uma superioridade falsa, que deixa exposta a tristeza por Amy querer ser alguém que diz não ser em seus textos.

Processed with VSCOcam with p5 preset

Matthew enxergou algo que ninguém mais queria enxergar em Amy e conseguiu a salvar de seu próprio abismo se tornando um porto seguro. No decorrer da leitura é impossível não desejar pessoas iguais a Matthew em nossas vidas. Alguém que observa, que cuida e sabe das nossas necessidades mais do que nós mesmos e ainda por cima, quando achamos que não podemos confiar em ninguém, este acaba sendo o salvador da pátria.

Mas Matthew acabou entrando em uma situação em que precisamos questionar: Uma hora quem salva precisa ser resgatado e quem faz isso? E é onde observamos que o cuidado é reciproco. Um cuidando do outro, sendo auxiliador, colocando desafios um para o outro enfrentar e CARAMBA você acaba torcendo para que ambos venham passar por todas as fases juntos.

Processed with VSCOcam with p5 preset

Em Amy & Matthew somos apresentados a diversas personalidades que encontramos em nosso ensino médio. Temos o popular dos esportes que deseja que todos venham se lembrar de suas loucuras. A menina tímida, a que é popular e não se importa para a opinião de ninguém, o caladão e assim seguimos a lista. Diante disso tudo preciso destacar algo da personalidade de Amy que muitas coisas reclamam: a busca por sua independência intelectual.

Quando olho para a busca da independência intelectual de Amy enxergo a possibilidade mostrar que em sua vida não vai existir um “E se”.

Cammie McGovern transformou Amy & Matthew em um livro de amor impossível (sobre a nossa ótica) que de longe me fez lembrar de “Um Dia“,”Simplesmente Acontece” e “Esta é uma história de amor“. Mesmo entre tantas complexidades que os personagens precisavam enfrentar, era impossível não fechar os olhos e não torcer *agora vai* e nesta brincadeira nós leitores acabamos com o coração balançado.

Publicado em: 20/maio/2015.
Título original: Say what you will
Páginas: 336
ISBN: 9788501070180
Skoob: Clique aqui para acessar
Tags: ,
Tags do livro: 
Categorizado como: 
Em: LivrosResenhasUncategorized

Gostou? Assine nossa Newsletter!

1 estrela2 estrelas3 estrelas4 estrelas5 estrelas (2 votes, average: 4,00 out of 5)
Loading...

Sobre o autor

Debora Queiroz
Debora Queiroz

Cristã-protestante, futura historiadora e saxofonista.

12 comentários

Deixe um comentário =)
  • A capa desse livro realmente lembra o livro Eleanor & Park… mas adoro esse tipo de livro, que te envolve, que te emociona, que tem personagens marcantes, pelo que vi esse tem tudo isso né… ja quero demais ler!

  • Eu li muitas coisas que aproximam esse livro de Eleanor & Park, mas acredito que pela sinopse já dá pra notar diferenças nas duas histórias.
    Eu tenho muita vontade de ler esse livro, ele me parece ter uma história de superação que servirá de exemplo pra muitos de nós. Além disso, a narrativa me passa a impressão de ser comovente, daquelas que ficam na tua cabeça, memória e coração por um bom tempo depois de terminada a leitura. Além da capa ser uma fofura só, né, gente?

  • Criar expectativas sobre personagens ou situações na maioria das vezes não dá certo, os autores sempre fazem o contrário do que queremos, Amy e Matthew parece seguir essa linha.
    Dois jovens com vidas difíceis que acabam se encontrando e um ajudando o outro, acompanhar a amizade surgindo, os momentos que eles passam juntos e os outros personagens é quase como uma volta ao ensino médio, querendo estar perto dos dois.
    Eu raramento leio livros desse tipo, mas estou pensando seriamente em abrir uma exceção para este, sua resenha descrevendo um pouco dos protagonistas e o final mostrando que você realmente ficou balançada e torcendo para que tudo desse certo me convenceu, foi uma das maiores apostas da Record para o começo do ano, investiram muito na divulgação, por isso darei uma chance para a autora.

  • O que achei legal nesse livro é que a autora abordou dois tipos de “prisões”: Uma física, e outra psicológica. Mas creio que o grande achado, foi a autora unir essas duas personagens que me parecem ser incríveis. Só em ler essa resenha, deu pra perceber que eles tem química. Agora se eles ficam juntos, aí não sei. Então estou super curioso pra saber. Espero ler em breve.

    @_Dom_Dom

  • Recebi esse livro de cortesia da editora, mas ainda não tive coragem para pegar pra ler por um motivo muito simples: sei que em algum momento ele vai me fazer pagar mico no metrô. Eu leio basicamente no caminho casa/trabalho/casa, logo, como sei que esse livro será emocionante eu preciso lê-lo no aconchego e segurança do meu lar.
    Um dia, talvez nas minhas férias, eu leio. Prometo.

    • Ah Nathalia, não fique com receio do livro provocar vergonha em público ou nada do gênero. Você deve sim o ler o quanto antes! A leitura é maravilhosa e tão rápida e acredito que um pouquinho de lágrimas no ônibus não faz mal para ninguém, digo por experiência própria!

  • Debora, fiquei muito balançada com o livro pelo que você falou dos protagonistas.
    Quero conhecer mais sobre a história deles e porque é uma amor meio impossível. Me pergunto se chorarei já que você disse lembrar “Um dia”.
    Curiosidade define.

    • Talvez você chore um pouquinho ou nada! Tudo vai depender do humor do dia e como você vai encarrar a situação!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar esses marcadores HTML e seus atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Copyright © 2011-2015. Desenvolvido por String - Tecnologia e Web.