[Em Primeira mão] – Não Somos Um

  • Twitter
  • Facebook
  • Google+

Sempre que possivel, o Drafts traz para vocês, em primeira mão, alguma história nova de quem tá começando seu sonho de ser escritor ou lançar o primeiro livro. É muito legal acompanhar essa turma que escreve, que sonha, que faz, que quer deixar um pouco de si para o Mundo. Tenho convicção que alguma, ou várias, histórias anunciadas aqui se tornarão fenômenos nacionais e internacionais. E é por isso que trazemos um pouco disso, queremos mostrar que existe muita gente, desconhecida, fazendo coisa boa, dando o melhor de si para levar sua mensagem, sua visão, divertir e girar essa grande roda da literatura.

Hoje trazemos a história “Não Somos Um”, cujo escritor conheci no twitter através de amigos em comuns. Inclusive uma amiga leu o original todo e elogiou muito. Felipe me disse que gostaria muito de ser escritor e quando eu perguntei o motivo dele escrever, ele me respondeu: “A pergunta tinha que ser “Por que você NÃO escreve?”. É TÃO BOM. Escrever não é só colocar as letras no papel. O processo é longo e você pode tirar coisas boas de todas as etapas. No livro da Amanda Palmer, ela diz que os processos criativos se dividem em Coletar (~observar o mundo~), Conectar (juntar tudo o que você coletou e montar uma arte com isso) e Compartilhar (mostrar para outras pessoas). Escrever tem tudo isso. Amo o processo de escolher a minha mensagem, de observar as pessoas ao meu redor procurando detalhes para enriquecer a história e tal. Sentar de frente para o computador e ver a história tomar o próprio rumo, descobrir a voz dos personagens e rir das piadas como se elas não estivessem saído da minha própria cabeça é simplesmente um dos melhores momentos. E, na hora de compartilhar, obviamente nem todos vão apreciar o resultado, mas sempre vai ter gente dizendo que riu, que se divertiu e descobriu coisas na arte que eu mesmo nem sabia que estavam ali. É maravilhoso.

Não Somos Um
Téo está em busca da Garota Perfeita, uma garota que ele idealizou e com a qual tem certeza de que será feliz. Após a busca não encontrar resultados e Téo conhecer Victória, uma garota completamente fora dos padrões dele, eles resolvem se ajudar: Vic não aguenta mais a sociedade dizendo que ela precisa de um namorado para ser feliz e Téo está cansado de ser visto com pena por seus amigos por ser solteiro. Logo, eles forjam um namoro com regras e prazo de validade. Seria mais uma história clichê de namoro de mentirinha, contudo, a irmã de Téo é uma investigadora criminal de 11 anos de idade, a mãe dele entrou em guerra com a vizinha, seus melhores amigos estão brigando por causa de um país, um cara barbudo muito popular apareceu em seus sonhos e Victória trouxe consigo conflitos próprios e um ponto-de-vista que abala tudo em que Téo sempre acreditou. Juntos, eles terão que encarar o fato de que todo ser humano tem mais de um lado e vai além da primeira impressão.
Sucesso Felipe! Estamos aqui para resenhar o livro quando ele sair por um grande Editora ou de forma Independente \o/

Leave a Reply

Your email address will not be published.
Required fields are marked *