• Twitter
  • Facebook
  • Google+

Falar dos livros da Carina Rissi é sempre um prazer! Esta semana aqui no Drafts teve o Gigante Literário, já tem resenha de Perdida e de No mundo da Luna. Desta vez vamos falar de Encontrada – À espera do felizes para sempre, segundo volume da série Perdida. Aliás, como já falamos por aqui, nossa querida Carina já sinalizou que o terceiro livro dessa série será lançado em breve. \o/

IMG_1177

Em Perdida, Ian Clarke e Sofia Alonzo se conhecem e se apaixonam. Mas só tem um pequeno detalhe: eles são de séculos diferentes! E a parte mais angustiante e triste (eu chorei :/) é quando Sofia, que já estava acostumada a vida na época diferente da sua e estava feliz com Ian, volta no tempo. Os dois, cada um em seu mundo, lutaram bastante para se reencontrarem. Mas em Encontrada, nossa querida e atrapalhada ‘garota do tempo’ está muito feliz ao lado do amado no século XIX e, como a sociedade na época tinha regras diferentes das de hoje, onde os tabus eram outros, precisam oficializar a união. Aliás, isso não é problema para nenhum dos dois, pois se amam e o casamento só seria a consequência de uma vida que os dois queriam dividir. <3

Mas estamos falando de Sofia, claro! Que não queria ter seu nome substituído por sra. Clarke e ainda não havia conseguido se adaptar a todos os aparatos que as mulheres utilizavam para se vestir: a temível crinolina – armação em metal para dar volume na parte de baixo dos vestidos (eu também não teria conseguido haha). Em Encontrada, além das trapalhadas de Sofia que garantem boas risadas, tem personagens bem carismáticos que conhecemos desde o primeiro livro: a sempre doce irmã de Ian, Elisa Clarke; a amiga da família, Teodora; o mordomo sério, senhor Gomes; a competente governanta, Madalena; o padre Antônio e o médico e amigo da família, doutor Almeida. Bom, o casamento foi marcado, os convites enviados, a festa organizada e uma certa tia vem para a cerimônia: tia Cassandra!

IMG_1172

Ian não queria que a tia estragasse a cerimônia ou usasse de seu sarcasmo para com sua futura esposa. Na verdade tia Cassandra é uma megera! Pronto, falei!

De dentro da carruagem, surgiu um rapaz alto e forte, ele estendeu a mão para ajudar uma senhora corpulenta com ar de importante a descer. Ela tinha muito brilho no pescoço, e a cara de poucos amigos me fez encolher os ombros.

– Certo. Ela não parece do tipo tia fofa que todo mundo ama – comente, os olhos fixos nas penas de pavão presas em alguma parte de seu vestido.

– E não é – ele comprimiu os lábios. – Vamos acabar logo com isso.

Pág. 130

Tia Cassandra bem que tentou transformar a vida de Sofia num inferno, afinal a protetora tia preferia ver o sobrinho casado com alguma dama da sociedade e não com uma total desconhecida e sem modos. Ah, tia Cassandra! Tsc, tsc, tsc

Bom, Sofia tem problemas de adaptação ao modo de vida e acha que a tia de Ian veio para atrapalhar sua felicidade, mas o que ela não percebe é que sua felicidade só depende dela mesma. Sofia é atrapalhada sim, o padre Antônio pega no seu pé, não consegue administrar a casa, mas ela e Ian se amam e convenções sociais ou uma tia megera não podem influenciar num relacionamento, a menos que uma das partes permita!

Por favor, Sofia, não chore. Meu coração não suporta vê-la sofrer assim. – Ele tocou a lateral do me rosto, afastando meus cabelos para o lado e beijando minha testa, minha bochecha, a pontinha do meu nariz molhado e meus lábios inchados pelo choro.

– Só me-me abraça – solucei. – E não me solta.

– Nunca mais – ele completou, me apertando com tanta força que meus pés saíram do chão.

Pág. 288

Continuar falando sobre o livro significa soltar alguns spoilers (risos) e juro que não quero fazer isso! Mas Encontrada só me deixa mais convicta do talento da Carina Rissi, que não decepcionou na continuação da série Perdida. E saber que em breve poderemos nos deliciar com esse casal de novo é ótimo!

Carina, continue com essa paixão pela escrita e hoje no Dia do Escritor, desejo sempre muita criatividade a você e a todas as pessoas que transformam o mundo de pessoas como nós: os leitores. Afinal de contas, ler é uma viagem sem sair do lugar! <3

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.
Required fields are marked *