Fragmentados

  • Twitter
  • Facebook
  • Google+
IMG_20150831_101625474

Nunca uma distopia despertou em mim um turbilhão de pensamentos e sentimentos com a sua descrição e alfinetadas em nossa sociedade por seu comportamento atual. Não, não pense que nesse primeiro livro haverá uma destruição e luta contra um governo opressor, mas os fatos caminham para isso, mas o foco é uma luta para se viver e apresentar ao mundo quanto custa o valor de uma vida.

Connor, Risa e Lev são os protagonistas desse romance distópico. Com personalidades e classes sociais distintas os personagens mantem apenas um elo: A Ordem de fragmentação.

Connor tem uma personalidade forte. Seu comportamento agressivo e temperamento tempestuoso faz com que seus pais não saibam lidar com o jovem, encontrando uma solução através da fragmentação. Risa foi abandonada por seus pais sob a custódia do governo, morando desde pequena em uma Casa Estadual. De beleza magnífica e um talento estupendo no piano, seus planos em se tornar uma musicista famosa acaba sendo frustrado quando o corte de gastos do governo significa para ela: fragmentação. Lev tem uma vida completamente diferente dos seus dois futuros companheiros. Pais ricos, personalidade calma, com 10 irmãos, sempre buscou fazer o de melhor para o próximo e com obediência e seguindo seus princípios religiosos, oferece-se de dízimo como sua religião manda, sendo assim criado para ser fragmentado.

IMG_20150831_101656329

Fragmentação tem apenas uma afinidade, mas na visão dos personagens podem significar uma dádiva de serviço e entrega ao senhor, uma punição por seu comportamento ou um ponto final para os seus sonhos. Não importa qual seja o significado para cada um, pois no modo geral é abandonar sua própria vida e seguir no corpo de outra pessoa.

A fragmentação é a consequência da Lei da Vida que se originou após uma segunda guerra civil, na qual a população se dividia entre assassinar os médicos que faziam o aborto, lutando pela vida e os que defendiam o direito de escolha. Como uma forma de frear o caos instaurado na população, o governo decidiu pela fragmentação na qual informa que ninguém pode abortar, se você não deseja seu filho pode o entregar sob custódia do governo ou fazer uso da lei da cegonha, porém, a partir de 16 anos os pais podem selecionar se os mesmos merecem ou não a fragmentação. A fragmentação é uma morte em partes, no qual seu corpo é completamente dividido e pode ser transplantado em outra pessoa. Seus reflexos, habilidades, lembranças continuarão vivas, porém, não estarão mais reunidas compondo um VOCÊ.

IMG_20150831_101704408

Estou surpresa em muitos aspectos com Fragmentados! Primeiro, por ser uma narrativa leve e simples e o autor apresenta um romance com diálogos nada forçados ou filosóficos demais, surgindo a possibilidade de futuramente ser uma conversa que eu e você venhamos ter, na verdade, quando o autor entra nos conflitos familiares e de a construção de caráter dos protagonistas, são questionamentos com os quais muitas vezes pipocam em minha cabeça. Além da narrativa, a crítica que o autor faz sobre a apropriação cultural, classes sociais, direito de escolha, maior idade penal é incrível! Tudo é de uma forma sutil e ao mesmo tempo clara, não oferece ofensa, mas sim te faz parar e analisar qual o contexto apresentado e o fato de assemelhar muito nossa realidade.

A apropriação cultural e a luta pelo não esquecimento das raízes foi algo que foi evidenciado através de Lev que ao ter um companheiro viagem, em uma das suas frases justificava modo de falar, cor da pele o fato das pessoas fazerem uso de pigmentação apenas por moda, o que muitas vezes faziam se esquecer de suas origens. Através do Lev o mesmo ainda faz uma crítica sobre o fanatismo religioso e o quanto tem matado pessoas ao todo do mundo. De uma forma simples e sem muitas voltas o autor diz: Ei, vocês estão fragmentando pessoas, não como o livro fazendo reaproveitação de suas partes, mas em levar tudo ao pé da letra sim.

Fragmentados é considerado por mim como a melhor distopia de 2015 e por enquanto a melhor que já li nesse gênero. Estou ansiosa para poder acompanhar os demais livros da série e saber o que as atitudes de Lev, Connor e Risa para continuarem vivos até os 18 anos para fugirem da fragmentação vão nos proporcionar.

Leave a Reply

Your email address will not be published.
Required fields are marked *