Incertezas, uma Confusão de Sentimentos

  • Twitter
  • Facebook
  • Google+

“Se não lhe der sossego, não é amor, é apego”* 

apego é uma forma estranha de amar

A maioria das pessoas já deve ter passado por algum tipo de conflito interno envolvendo um sentimento indefinido em relação à outra pessoa. Aquele “quero, não quero”, “gosto, não gosto”, “te amo, te detesto”. Isso encanta e enlouquece!

Eu tenho uma mania absurda de querer entender as pessoas. Mas essa vontade de querer saber os porquês aumenta quando é com alguém que eu, de alguma maneira, me importo. Mas por mais que a gente entenda alguém, sempre vai ter uma parte que não vamos descobrir. Ninguém conta todos os seus pensamentos, ações e sentimentos para outra pessoa. Tem coisas que são somente nossas, que só nós mesmos somos capazes de entender.

Às vezes, é por não entender que não dá para entender tudo – ou não querer que seja assim – que fico angustiada. Queria saber das coisas com mais clareza para ter mais certeza do que fazer, mas a vida não é assim… E a gente não pode se prender às pequenas coisas. Tem que deixar fluir. Se tentarmos mudar algumas coisas, o que mexe com a gente pode perder o encanto.

Com essa mistura de sentimentos, escrevi o poema a seguir. Não deixem de comentar o que acharam e o que pensam sobre o que foi dito.

 

Caos Bom

eu não sei o que você é

pra fazer o que faz

não consigo ficar longe

não quero ficar perto demais

e não aguento essa mornidão

aquece e esfria tantas vezes

quando me acostumo com o quente

o frio de repente vem

quando o frio está bom

você resolve se aquecer de novo

tento lidar com isso

manter o controle sobre mim

mas eu não sei o que você faz

e nem do que é capaz

me perco em um abismo

machuco o coração

sem razão

“agora vai ficar tudo bem”

digo pra mim com olhos fechados

então poucos dias depois

você resolve mudar mais uma vez

eu devia ser como você

não me importar

apenas viver e esquecer

mas não somos iguais

e nem devemos ser

é esse o encanto da situação

toda essa incerteza misturada com solidão

*essa poesia é do J.Castro. Você pode ler outras poesias dele no tumblr maravilho “umilhão“.

 

One answer

Leave a Reply

Your email address will not be published.
Required fields are marked *