Infinity Ring – O Alçapão

  • Twitter
  • Facebook
  • Google+

O Alçapão é o terceiro volume da série Infinity Ring, composta por sete livros e escrita a seis mãos. Este terceiro volume foi escrito por Lisa McMann, autora de uma das minhas trilogias favoritas, Wake. Infelizmente, essa trilogia não fez tanto sucesso aqui no Brasil, acredito que muito por má divulgação, porém, quem tiver curiosidade, vale a pena dar uma olhadinha aqui (link em inglês) e descobrir sobre esse Young Adult.

Um pouco mais confuso e deixando para tratar das Fraturas quase no final do livro, O Alçapão, se comparado aos dois primeiros volumes da série, deixa a desejar em alguns quesitos – o que me deixou um tantinho triste, eu estava com as expectativas lá no alto por conta da autora.

alçapao

Infinity Ring é uma série juvenil, mas que muito me encanta por ser leve e abordar um assunto que eu curto muito desde os tempos de De Volta para o Futuro: viagem no tempo. Porém, foi exatamente desse elemento, em particular, que eu senti falta. O Alçapãoficou parecendo mais um romance histórico.

Mas, calma galerinha, não ficou ruim… Até porque os romances que aconteceram foram muito fofos, daqueles que nos balançam. Aliás, o ponto alto desse terceiro volume foi poder conhecer melhor uma das personagens do trio de “historiadores”, Riq, o jovem que se uniu aos amigos Dak e Sera para corrigir as Fraturas causadas pela temida e manipuladora SQ. Dessa vez, o Anel do Infinito os leva a alguns anos antes da Guerra Civil e época da escravidão. Até então, os leitores tinham Riq como uma personagem mais secundária. Lisa mudou isso e chamou a atenção para a importância dele na história.

alçapao02

Um outro ponto a ser observado e elogiado é a manutenção das personalidades das personagens. Lisa conseguiu manter os perfis coesos e coerentes ao que foi escrito por seus colegas anteriormente. E, vamos combinar, uma série escrita a seis mãos poderia, facilmente, perder-se nesse quesito.

Sera está um pouco mais “perturbada” por conta das Reminiscências e dos acontecimentos na última Grande Fratura.  Já Dak continua sendo o mesmo garoto apaixonado por História, que acaba os colocando acidentalmente e ingenuamente nas maiores encrencas. Porém, ele também acaba por ser o solucionador de muitas dessas enrascadas. rsrs

O Alçapão, em minha opinião, acabou sendo um livro mais morno, sem grandes enigmas, sem grandes surpresas, muito mais voltado para o emocional do que para o trabalho que os três jovens foram chamados a fazer. Confesso que senti falta da ação dos dois primeiros; todavia, Lisa conseguiu nos prender com sua escrita mais sensível e dramática.

 

* Resenha de Um Motim no Tempo

* Resenha de Dividir e Conquistar

Leave a Reply

Your email address will not be published.
Required fields are marked *