Leitor Convidado – Tatiana Ruiz

  • Twitter
  • Facebook
  • Google+

Olá Galerinha!!!!!!!!!
Tudo bem? Semaninha agitada… Nem consegui postar aqui direito!
Mas hoje, retorno ao ritmo normal e, não poderia ser de melhor maneira!
Na coluna de hoje teremos uma convidada especial, nossa leitora e escritora Tatiana Ruiz! Ela já esteve aqui ano passado com uma de suas poesias (link) e, esse ano, nos presenteia com um conto escrito especialmente para a nossa coluna!!!! Demais, não?

Então, prontos para conhecer mais outro incrível trabalho dessa moça?

Pequena Vitória

“Por favor, não deixe que eles me peguem, por favor!”

Alheios a tudo se encontravam dois espécimes, conversando na calçada, como se nada tivesse acontecido. Os olhos dela acompanhavam cada mínimo movimento, esperando pelo bote. Passou o mais rápido que pôde, agarrando-se a qualquer esperança de contra ataque, analisando possibilidades de fuga e arquitetando mil planos de pedidos de piedade e gritos de socorro – que, por sorte, não foram necessários.

“Força, força, você consegue! Anda!”

Caminhava a passos rápidos, o ar escapando de seus pulmões. Avistou uma pequena entrada alguns metros à frente. O corpo inteiro estremeceu. E se alguém surgisse dali e a agarrasse? O que faria? Planos, planos, precisava sempre deles! Torceu os dedos nervosamente enquanto olhava envolta. Seu foco acabou sendo as carcaças abandonadas próximo à calçada. Estariam mortos ou apenas dormindo? Talvez estivessem armando algo. Um plano para pegá-la desprevenida! Tinha que ficar atenta… Qualquer movimentação suspeita precisava ser notada com urgência! Com tempo sempre se pode achar saídas…

Estava tão emaranhada em seus pensamentos e receios que não notou um deles vindo em sua direção. Aqueles pés que giravam numa velocidade vertiginosa, os olhos brilhantes e assustadores, aquele grasnido agudo e doloroso… O nó se formou em seu peito e as pernas quase não tiveram tempo de seguir o instinto: chegar depressa à segurança da esquina seguinte.

– Tá maluca? – perguntou, mas ela não ouviu. Alheia a tudo, olhos empapados.

“Foi por pouco… Eu… Eu quero voltar!”

O desejo martelava em sua mente, as lagrimas borravam a pouca e delicada maquiagem, mas ela já tinha conseguido vencer mais da metade do caminho… Não poderia desistir agora! Era vital… Ela sabia disso. Respirou fundo e forçou os membros a prosseguir. Em poucos instantes conseguiu ver as luzes que indicavam seu destino. Os lábios, como puxados por ímãs, abriram-se numa felicidade incontida. Parou diante das enormes portas que, reverenciando sua chegada, se abriram para que pudesse passar. Passeou furtivamente pelos corredores, se escondendo de cada ser que entrava em seu campo de visão. Pegou o que precisava para sua sobrevivência, o motivo que a levara até ali, e caminhou sem olhar para trás em direção à saída mais próxima.

– São $5,85.

O som parecia vindo das profundezas, e só o que a jovem queria era sair dali. Entregou a quantia e sem nem um adeus partiu em sua jornada de volta. Estava escurecendo e logo haveria mais deles na rua. Queria estar em casa antes disso. Ao dobrar a esquina o pavor se transfigurou em um grito que lhe estrangulava. O monstro, de olhos doces e corpo encurvado, dera de cara com ela na dobra da esquina. Desviou de forma torta e impensada, quase derrubando o que mantinha junto ao peito, agarrado como sua salvação. O medo, gigante e atroz, deu forças à suas pernas para correr por sua vida até a segurança de seu lar.

– Trouxe o que pedi? – monótona e pastosa a voz chegou a seus ouvidos.

Olhou para a sacola azul onde jazia o troféu de caça: 2l de leite e dez pães. Tinha conseguido vencer a batalha. Sabia que a guerra seria longa, talvez durasse décadas, mas o primeiro passo fora dado.

Jovem guerreira: 1. Agorafobia: 0.

102_67991

Tatiana Ruiz é cidadã espanhola nascida no Brasil. Membro do Conselho Steampunk, a entusiasta ajuda a divulgar a literatura fantástica nacional. Capista e atriz, descobriu na escrita o prazer da vida. Possui várias poesias no web jornal Recital Rotativo e contos em antologias como Insanas… Elas Matam, Steampink, Angelus, Piratas – Os Senhores das Aguas Sombrias, À Beira da Loucura, SOS – A Maldição do Titanic e Eu Acredito – Fadas e Duendes. Também é organizadora das antologias Steampink, Erótica Steampunk: Por Trás da Cortina de Vapor e co-organizadora de Deus Ex Machina: Anjos e Demônios na era do Vapor e SOS – A Maldição do Titanic. Atualmente trabalha em seu primeiro livro solo.

Leave a Reply

Your email address will not be published.
Required fields are marked *