Não se preocupe com as críticas!

  • Twitter
  • Facebook
  • Google+

Oi, pessoal!

Fiquei muito feliz com os comentários na última coluna. Mais uma vez agradeço ao convite da Nica e a oportunidade de bater um papo com vocês por aqui. Fiquei pensando sobre o que falar nesse mês e como percebi que muitas pessoas acabam deixando de lado o sonho de escrever por medo de receber críticas, achei que seria um bom tema para essa segunda postagem.

Já conheci muita gente que sonha em ser escritor, mas que morre de medo de colocar o seu texto no mundo. O motivo? Pavor de críticas, julgamentos e de ver seu trabalho rejeitado pelo público. Conversando com um aqui, outro ali, vi que esse é um medo de muitos. Acreditem! Tem até mesmo autor já publicado que não consegue entender uma crítica ao seu livro.

criticas-full12

Andei dando dicas para os amigos que pensam em desistir antes mesmo de começar – “deixem esse medo de lado!” – pedi. Confesso que não sou a pessoa mais cheia de propriedade para aconselhar alguém sobre seus fantasmas – já que eu mesma sou cheia deles! Como meu pavor de avião e de lugares fechados, por exemplo! risos Mas acho que quando o medo interfere nos nossos sonhos, devemos colocar uma espada imaginária nas mãos para lutar.

Mas, e se quando for publicado o meu livro receber um monte de críticas? Acontece! Veja o que você pode usar para o seu crescimento e o que não servir, deixa pra lá! Acho que o medo da crítica é tão irracional quanto o meu medo do avião. Sabe por quê? Não são todos os aviões que vão cair, assim como não são todos que vão odiar o seu livro. A chance de o contrário acontecer é infinitamente maior. Se você escreveu com paixão, com o coração, se revisou com cuidado, se tratou o seu trabalho com todo o carinho, a probabilidade de agradar é muito maior, assim como a do avião seguir sua viagem sem maiores problemas.

take-risks1

Nesses dois anos e alguns meses de livros publicados, pude perceber melhor esse fantasma que assombra tantos escritores e futuros colegas de profissão. Confesso que me surpreendi muito mais com a quantidade de opiniões positivas do que com as críticas que recebi. Era o meu primeiro trabalho, a minha estreia nesse mundo que sou tão, tão, tão apaixonada. Perceber que pessoas de várias regiões do Brasil entraram em contato comigo quando eu achava que apenas amigos iriam ler o Louca Por Você… foi Incrível! Mais delicioso ainda foi começar a receber mensagens, cartas, e-mails de pessoas que eu nem mesmo conhecia, que entravam em contato para compartilhar comigo seus amores e desamores tão parecidos com as situações vividas pela Renata (protagonista do meu primeiro romance).

Mas é claro que nem tudo é um mar de rosas. Também recebi críticas e aproveitei cada uma delas para crescer e melhorar no meu segundo romance. Nunca encarei uma crítica como um julgamento ou como alguém querendo me atingir. Procurei sempre ver como um conselho, uma dica para deixar o meu trabalho melhor. E acho que é assim que tem que ser.

Ah, mas nem toda crítica é construtiva! Ok. Não mesmo. Existem aquelas críticas assim: Não leia esse livro! É uma porcaria!!

Bom, quando me deparo com algo assim sinto pena de quem escreveu e de quem compra aquela opinião. Da primeira, por ver que aquela pessoa provavelmente vive em uma caixa e acha que só a visão dela é que é a certa. E a outra por perder a chance de conhecer algo que ela poderia gostar. Afinal, gosto não se discute e cada um tem o seu. Mas isso também não é e nem pode ser um fantasma!

É claro que terão pessoas que irão odiar o seu livro. Mas, o que seria do azul se todos gostassem apenas do vermelho? Isso sempre vai acontecer e resta apenas a você levar isso numa boa. Antes de chorar, criticar a pessoa que abandonou seu romance, ficar de birra… Pense em quantas coisas que um monte de gente ama, e você também deixou pra lá ou detestou! É normal e é ótimo que seja assim. O mundo seria muito chato se todos fossem iguais.

Não deixe que o medo da crítica te faça desistir. Escreva com a sua verdade, com a sua paixão e tenha a certeza que o seu texto irá fazer a diferença no mundo de alguém.

maxresdefault2

 

Fernanda Belém.

Leave a Reply

Your email address will not be published.
Required fields are marked *