Nuvens de Ketchup

  • Twitter
  • Facebook
  • Google+

Bem, neste momento vocês não vão compreender o que sinto, mas preciso de alguma forma relatar as minhas mudanças de humor ao longo da história, assim como fez Annabel com Zoe Collins.

nuvens de ketchup

Na verdade, o seu nome verdadeiro não é Zoe Collins, e isso não é importante, o que realmente devemos dar valor não é ao nome do narrador, mas sim os fatos que o mesmo deseja apresentar. Então dois detalhes importantes que você precisa lembrar: Zoe não é inocente, ela sabe disso. E nós somos o condenado no corredor da morte, pois estamos recebendo o relato do seu último ano de vida.

Em 270 páginas, Annabel Pitcher nos apresenta uma adolescente comum aos nossos olhos. Zoe é quieta, de humor inteligente com poucos amigos e tem o desejo de ser tornar escritora apesar da relutância de sua mãe em formá-la em direito. Em suas horas vagas, Zoe trabalha na biblioteca ou continua escrevendo a história de peludo, um personagem da história em que vem trabalhando faz alguns meses. E como todos os clichês das histórias adolescentes, Zoe se envolve com Max, o jogador popular do colégio.

IMG_20150516_161902648

Mas essa não é uma história onde o valor se prende no amor que é construído na hierarquia social que um colégio representa, mas uma história que começa depois do beijo, do toque, ao perceber que existe uma nítida diferença em gostar e depois encontrar o verdadeiro amor. Isso é o que Zoe descobre ao se ver dividida entre Max e Aarow.

– Eles não se amam mais. (…) – Claro que se amam – falei embora não soasse segura. – O amor está enterrado. – Enterrado embaixo do quê? – De preocupações (…)

Max e Aarow são como água e óleo, tão diferentes e ao mesmo tempo tão essenciais. Pitcher em sua narração em nenhum momento fez juízo de valor sobre seus personagens, não nos fazendo decidir para quem torceríamos por um final feliz. Diferente! A autora nos fez torcer por ambos os lados e foi neste momento em que meu coração de leitora conheceu o amor e a desilusão.

nuvens de ketchup

Em Nuvens de Ketchup, desde a primeira folha sabemos o que Zoe fez, sem detalhes ou a quem se refere na realidade e a autora sem nenhuma pista faz brincadeiras com o nosso coração atrás do mistério, mas ao mesmo tempo nos relata o quanto a dor é capaz de torturar alguém a ponto de encontrar conforto em alguém que esteja próximo de enfrentar a morte. Confuso?

Nas 270 páginas que compõem o livro, a autora divide a narração nos atuais problemas de Zoe, nas dificuldades com as suas irmãs e problemas familiares, na fragilidade em tudo o que lhe cerca e nas cartas que são mandadas para o corredor da morte abrem caminhos, em suas partes, os quais são responsáveis de nos relatar um passado que Zoe deseja apenas mudar.

Nuvens de Ketchup é sem dúvidas o melhor livro que li até este exato momento em 2015. Em tão poucas páginas, somos apresentados a um turbilhão de pensamentos e sentimentos. São tantas confusões, são tantos abraços que desejamos oferecer, são tantas mentiras que fingimos viver e tudo isso unido em uma narrativa tão singela. <3

8 Answers

  1. Nardonio Nardonio
    15/06/2015 at 20:36

    Nossa, achava que um livro de 270 nunca iria chegar a um ponto de fazer nossas estruturas balançarem dessa maneira. Isso mostra todo o poder narrativo da autora. Isso mostra que o autor não necessita “florear” sua escrita para escrever livros incríveis como esse. O menos é mais, e isso foi provado aqui. E o mais interessante é que são tantas reflexões interessantes, que fico me perguntando como a autora conseguiu sintetizar tudo isso. E claro que meu nível de curiosidade aumentou consideravelmente.

    @_Dom_Dom

    1. Debora Queiroz Debora Queiroz
      11/08/2015 at 11:55

      Concordo plenamente com você. A narrativa da autora é simples, poética e maravilhosa. É tão fácil se deixar levar por ela, pois é tão cativante e quando fecho o livro sinto que falta um pedaço dentro de mim!

  2. Natalia Eiras
    03/06/2015 at 15:25

    Eu fiquei confusa em um ponto: como ela começa a se corresponder com o presidiário no corredor da morte?
    Confesso que não dava nada por esse livro, devido a capa que não me chamou a atenção e o título. Mas a sua resenha despertou meu interesse. Vai para a minha lista de futuras leituras, pois achei o enredo bem diferente do que estou acostumada a ler e se você disse que foi uma das melhores leituras de 2015…eu acredito em você!
    Bora colocar esse livro na lista de compras da Bienal! (Que por sinal só aumenta…ai meu pai…)

    1. Debora Queiroz Debora Queiroz
      11/08/2015 at 12:00

      Spoiler: Ela soube que ele iria parar no corredor da morte e geralmente a estes presos dão liberdade de receber cartas e alguns sites disponibilizam o nome de quem é aberto para correspondência, o que fizeram e o endereço que devem marcar a carta. Foi dessa forma que a personagem conseguiu.
      Adicione sim na lista de leituras! A história é fantástica e vale super a pena, você não vai se arrepender!

  3. Déborah Araújo
    02/06/2015 at 21:51

    Nunca imaginei que o livro fosse tão intenso e tão dramático ao mesmo tempo.
    Fiquei sofrendo para saber que tantos mistérios e segredos são esses que envolvem a Zoe e como acaba a história.
    É tudo muito instigante e cheio de dinamismo.
    Amo livros assim e espero conseguir lê-lo.

  4. David Galan
    02/06/2015 at 21:07

    Não faça isso comigo!!!
    Desejo esse livro desde o dia que vi a capa que é incrível, o título que é sensacional, não paro de pensar nele e aí me aparece uma resenha sua confirmando tudo o que eu já sentia antes mesmo de ler.
    Acho que o torna o livro mais impactante e melhor é justamente essa mistura que a autora faz, como o mistério sobre o que e a quem Zoe fez algo, o relacionamento dela com Max e Aarow, as cartas trocadas, o condenado e seus último dias até a morte, a indecisão, a insegurança, a culpa, todos os sentimentos que são descritos ao longo de tão poucas páginas.
    A premissa é instigante, agora preciso ler mais ainda, depois de você afirmar que foi o melhor livro que leu até agora, não consigo falar mais nada, estou tentando digerir essa resenha ainda e lidar com essa vontade incontrolável de ler o livro, mas para isso preciso tê-lo! =/
    É isso, paro por aqui, não estou bem. haha

    1. Debora Queiroz Debora Queiroz
      11/08/2015 at 12:42

      Vou lhe dizer uma coisa, desde que terminei de ler esse livro ficar nada bem se tornou meu lema. A história é profunda e se tornou o melhor livro de 2015. Conquistou meu coração por completo meu amigo, por completo!

Leave a Reply

Your email address will not be published.
Required fields are marked *