O Amor Mora ao Lado

  • Twitter
  • Facebook
  • Google+

Que eu sou apaixonada por bichinhos de estimação, quem acompanha o blog, já deve ter percebido. Tenho nada mais nada menos que quatro cachorros da raça Dachshund – ou os famosos salsichinhas da Cofap – em casa e um aquário meio grandinho…  Então, se o livro traz bichinhos na capa ou tem na sinopse algo os envolvendo, é fato, me ganha de cara!

Porém, tenho que confessar que gatos não me atraem pessoalmente. Hehehe

Contudo, achei a sinopse de O Amor Mora ao Lado da autora Debbie Macomber tão simples e interessante, sem falar na capa que a Novo Conceito arrasou na escolha, que não consegui resistir e tive que pedir o livro. Tão logo o mesmo chegou, já peguei para ler e NÃO ME ARREPENDO.

Sim, o livro não é um best-seller para chamar de meu, mas é tão fofo, tão doce, tão simples, com um quê de divertimento e leveza que, para mim, foi fácil me envolver com a história de Cão e Cleo, ou melhor, com a história de Jack Walker e Lacey Lancaster.

Com uma narrativa objetiva e fluída, onde não vamos encontrar muitos floreios e enrolação por parte da autora, somos apresentados a personagens que me cativaram instantaneamente. Tanto os felinos, quanto os humanos. Debbie soube “linkar” os gatos e seus donos, suas personalidades, seus medos, suas atitudes.

Lacey é uma jovem recém-separada e que vive para o trabalho onde não é bem remunerada. Sua única companhia é sua gata, Cleo. Com o fim de seu casamento, se mudou para ficar longe do ex-marido e, assim, tentar reconstruir sua vida. Traumatizada, ela vive reclusa em seu apartamento, sofrendo com os fantasmas deixados por conta de seu fracassado casamento.

Pude perceber muito de muitas pessoas que conheço e que passaram por uma separação conturbada na Lacey. É normal, durante um tempo, se esconder e, de certa forma, tentar se proteger. Quando somos pegos de surpresa, a dor é ainda pior e demora a sarar. Mas Lacey, como muitas pessoas reais, usava aquela situação para se acovardar, ela estava conformada com sua vida medíocre, sem grandes emoções, com um emprego maravilhoso, mas que a sugava. Uma hora, ela teria de baixar suas defesas…

Jack, seu vizinho lindo de morrer, vivia em pé de guerra com Sarah, uma jovem linda e que Lacey julgava ser a namorada dele. Apesar das inúmeras investidas do vizinho sedutor, Lacey se trancava em seu mundo – ou seja, seu apartamento –, não aceitando os cortejos dele por, equivocadamente, pensar que Jack era igual a seu ex-marido. Na verdade, ela achava que todos os homens eram como seu ex.

Mas Jack, além de lindo, era paciente, determinado e apaixonado. Aos poucos, e graças a uma escapulida de Cão (sim, o nome do gato dele é esse) quando Cleo se encontrava no cio, os dois finalmente começam a conversar e se encontrar. Aos poucos, Jack vai quebrando o gelo do coração de Lacey.

Vamos conhecendo Lacey e Jack de maneira linear. Parece que os conhecemos e que eles são pessoas como a gente. Isso é uma das coisas que eu mais gosto quando leio romances… Essa identificação e aproximação com as personagens. Gosto quando eles são tangíveis, palpáveis.

Não posso ir muito mais adiante. Apesar de ser bem fácil prever o que vai acontecer só pela sinopse, vale a pena dar uma chance ao livro de Macomber. Além de ser um romance fofo, diria até clichê, ele fala muito de emoções, de sentimentos. Se você como eu gosta de se envolver com as personagens, esse é o tipo de livro que vai te encantar, sem te deixar enfadado.

Mas aviso, não espere um livro magnífico. Não acredito que a intenção da autora tenha sido essa. Como ela avisa logo no início do mesmo, a ideia surgiu motivada por seus leitores que pediam que a mesma escrevesse uma história com uma personagem felina. Amante dos animais, a autora aceitou o desafio e escreveu O Amor Mora ao Lado. No final do livro, contamos com uma surpresinha! rsrsrs

Portanto, não espere um best-seller, mas uma história simples e doce, que vai te distrair perfeitamente bem por uma tarde. 

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.
Required fields are marked *