• Twitter
  • Facebook
  • Google+
Resenha feita pela leitora Mari Rodrigues

A minha história com esse livro remota há dois anos atrás. Sim, isso é uma resenha. Mas é também a história de como conhecia uma fofura de autora e sua obra que me fez chorar litros. Tudo começa com a minha ida a Bienal do Livro de 2012. Foi a primeira Bienal que fui porque esse foi o ano que eu realmente comecei a ficar a dependente de livros. No começo eu ainda fiquei meio perdida naquele mundo de opções. Nem uma lista do que eu queria eu tinha feito. Aquele domingo estava sendo de descobertas no mundo literário para mim.

E uma dessas descobertas foi conhecer, enquanto olhava as novidades no estande da editora Novo Século, uma mulher com sorriso de garota sonhadora, de fala mansa, super atenciosa e simpática. Era a escritora Samanta Holtz, que estava na Bienal para divulgar seu primeiro livro publicado, apesar de já ter escrito outros três romances.

Fiquei um tanto surpresa. Afinal não é todo dia que você está olhando um livro ao acaso e se depara com o escritor ali bem ao seu lado. Naquela tarde acabei levando para casa a minha edição de O Pássaro, graças a simpatia de Samanta Holtz e a sinopse que despertou meu interesse pela história.

Os meses se passaram e O Pássaro ficou aguardando sua vez na pilha de livros que eu havia comprado. No entanto, agora percebo que ele estava esperando o momento adequado para sair da gaiola e me contagiar com essa história emocionante e bem escrita.

Não há como não se reconhecer ou se inspirar com a luta de Caroline por aquilo que acredita. Por buscar a liberdade de um pai opressivo e de casamentos forçados em uma época em que a mulher não tinha direitos nem voz ativas na sociedade.  Bernardo também é um perfeito exemplar daquilo que costumo chamar de “príncipe encantado às avessas”, aquele que é tudo que você quer, mas também é tudo aquilo que você deveria manter distância. Sem contar que ele não perde a oportunidade de implicar com Caroline e deixá-la irritada. Quanto tempo eles demoram a perceber o que sentem um pelo outro quando está tão na cara. Mas não pense que esse livro é um simples “garoto encontra garota” que as reviravoltas da história são tão emocionantes que te deixam sem fôlego.

Em minha breve conversa com Samanta, ela me contou o quanto teve cuidado com as pesquisas sobre a época que ela queria retratar para que tudo ficasse verossímil. E isso fica bem claro no livro, principalmente na parte em que Caroline e Bernardo se refugiam com ciganos. A escritora teve bastante cuidado ao retratar a cultura deles. Os detalhes dos rituais ciganos são bem expressos. As descrições são tão claras que formam cores vivas na imaginação do leitor.

De 2012 para cá Samanta Holtz já lançou mais dois romances, Renascer de um Outono e Quero Ser Beth Levit. Este último conta com o sonho dos fãs de ver a história de Amie se tornar um filme.  Já O Pássaro teve a sua segunda edição lançada com uma nova capa. Difícil decidir qual a mais bonita.

7 Answers

  1. David Galan
    02/06/2015 at 20:41

    Realmente não é todo dia que encontramos com a autora do livro e ainda podemos bater um papo, deve ser algo que motiva mais ainda a ler a obra do mesmo.
    Tenho vários livros nessa situação, aguardando na pilha para serem lidos, acredito mesmo que para a leitura “funcionar” e nos envolver precisa ser o momento certo, igual aconteceu com você e essa estória, que bom que a experiência foi boa.
    O trabalho de pesquisar apenas enriquece mais ainda um livro que pela premissa é bem ambientado e com personagens que lutam por aquilo que acreditam e desejam.
    Difícil mesmo escolher a capa mais bonita, ambas são igualmente belas!

  2. Natalia Eiras
    02/06/2015 at 20:25

    Eu li esse livro assim que foi lançado e foi amor a primeira vista. Comecei a ler de tarde, num sábado. Passei a noite inteira lendo, pois não conseguia parar e quando terminei (na manhã de domingo) chorava copiosamente. Feito criança.
    Meu marido acordou e me viu com os olhos vermelhos e não acreditou que eu tinha passado a noite toda lendo e chorando.
    Fazer o quê? Ele não tem o hábito da leitura e não entende nossos dilemas…
    A partir desse livro eu coloquei a Samanta Holtz no hall de divas da literatura e não importa o que essa mulher publicar: eu vou comprar.
    Eu já nem leio mais as sinopses dos livros dela. Simplesmente compro.
    Eu tenho o livro com a capa antiga (e autografado), mas confesso que fiquei um pouco frustada quando lançaram essa nova versão, pois essa capa é infinitamente mais bonita do que a original. Mas não rola comprar o mesmo livro só porque tá com outra capa, né? (e ainda tem o autógrafo que não dá pra reproduzir no novo livro).

  3. Patrini Viero
    02/06/2015 at 02:44

    Apesar de ainda não ter lido nada da autora, com essa capa maravilhosa, vontade é o que não falta!
    Eu gostei muito da tua resenha, achei bonita a tua relação com o livro e com a autora. Deve ser bem incrível isso tudo!
    Eu acho que iria gostar da história de O Pássaro exatamente por conta da protagonista. Gosto de personagens fortes, que te inspiram a ser melhor e sempre buscar os teus sonhos. Sem falar que o príncipe às avessas é sempre bom, né? rs

  4. Nardonio Nardonio
    01/06/2015 at 23:33

    Deve ser uma sensação bem interessante você observar um livro na prateleira e, ao se virar, dar de cara com o autor, não é?!?!
    Acho legal ver os autores pesquisarem sobre aquilo que eles se propõe a escrever. Isso torna a obra bem mais sólida. Ainda não tive oportunidade de ler nada da Samanta, mas quero muito, pois, ultimamente, estou querendo conhecer mais nossos autores.

    @_Dom_Dom

  5. Samanta Holtz
    01/06/2015 at 23:28

    Querida Mari,

    Que resenha mais encantadora!!! Muito obrigada por dividir sua linda opinião aqui no Drafts da Nica. Amei saber sua opinião sobre o livro, sobre a descrição dos cenários, sobre os personagens… e, mais que isso, saber como foi bonita e especial a forma como nos encontramos, na Bienal do Livro de 2012! Foi um evento tão incrivelmente especial, para mim, que eu fico feliz sempre que sei que minha presença também foi marcante para os leitores 😀 Obrigada por ter tornado minha Bienal mais especial e mais linda!

    E que bom saber que “O Pássaro” esperou o momento certo para ser lido por você… amei, de coração, cada palavra que você escreveu aqui! Sobre o livro e sobre mim 🙂

    Beijos, beijos, beijos!
    Sam

  6. Suzzy Chiu
    01/06/2015 at 21:56

    Hello!!
    Nossa, seu blog é lindo!!! Morri de amores já!
    E essa capa? Meo deos, adorei!! E eu sou dessas que compra o livro pela capa, hahaha!
    Mas pelo que li já vi que é dos meus gostos essa estória! Amo romances e acho que vai ser uma bela surpresa para mim tb qdo eu puder ler.
    Bjus

  7. Deborah
    01/06/2015 at 19:12

    Eu ainda não li nada da autora…
    Gosto dessa ideia da Novo Século de levar seus autores para a Bienal.
    E a história parece ser muito boa. Um amor.
    Também foi bom conhecer sua história com a obra e autora.

Leave a Reply

Your email address will not be published.
Required fields are marked *