Os Humanos

Tenho quase certeza que você já acordou e se perguntou quem era ou sentiu intensamente a imensidão do universo e se questionou tudo que sabe ou o que sente. Eu gosto muito dessa temática justamente por trazer esses instantes de reflexão. Será que vale a pena perder tempo com coisas banais, enquanto há um vasto mundo de possibilidade?

 

“O Universo é traiçoeiro, nos limita em seu infinito” – No encontro de uma constante

 

A história do livro começa com a descoberta de um enigma matemático por parte de um professor e pesquisador renomado. Um grupo de alienígenas, ao descobrir isso, mandam um “agente” para descobrir quem mais sabe e eliminar todas as provas. No entanto, no decorrer da missão, o “agente” vai se aproximando da natureza humana e começa a questionar suas ordens.

A decisão de ler esse livro se passa por dois fatos, o primeiro foi lembrar do projeto da Amanda, onde ela escreve a visão de um alienígena sobre o nosso mundo. Na 3º edição do Amigo livro, um dos participantes levou “Os Humanos” para entregar ao seu amigo X. Sua descrição do livro alinhado ao primeiro gatilho me fez colocá-lo na lista de prioridade e também na minha lista do Amigo secreto que participei em novembro passado.

 

Você já leu sobre o “Pálido Ponto Azul”? É uma reflexão de Carl Sagan. Ele apontou um telescópio que estava bem longe da terra e tirou uma foto. Nessa foto, mostra a terra bem minúscula, em um feixe de luz.

“A Terra é o único mundo conhecido, até hoje, que abriga vida. Não há outro lugar, pelo menos no futuro próximo, para onde a nossa espécie possa emigrar.. Para mim, destaca a nossa responsabilidade de sermos mais amáveis uns com os outros. ”

 

E no livro muitas das questões humanas são destacadas, principalmente o Amor. E ao falar de amor, é impossível deixar de fora a poesia. A história me surpreendeu nesse quesito, por destacar tão bem o papel da poesia nesse entrelaçamento entre viver, sentir e ser humano.

 

 

No início a leitura estava um pouco pesada e isso me fez ficar um pouco receoso com o livro, mas como era algo suportável, continuei lendo e o ritmo foi melhorando. Os curtos capítulos também ajudaram na fluidez.

Foi uma bela leitura de fim de ano, onde o sentimento de renovação e superação encontra-se bem presente em nós, e acredito que todos deveriam ler o livro, por isso minha avaliação é super positiva.

Feliz Ano novo! Que 2017 traga os melhores motivos para você ser um humano.

Sobre o autor

Bruno Luiz Mattos Oliveira
Bruno Luiz Mattos Oliveira

Nasceu em 1990 e mora em Cariacica (ES). É empreendedor, técnico em informática, formado em Sistemas de Informações e autor do livro No Encontro de Uma Constante. Não dispensa um bom rock.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar esses marcadores HTML e seus atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Copyright © 2011-2015. Desenvolvido por String - Tecnologia e Web.