Papo de Mãe: Bebê doente, e agora?

Uma das coisas que mais perturba qualquer nova mamãe é ver seu bebezinho dodói. Sério, gente, ao longo desses meus primeiros dez meses de experiência, a pior parte (e por enquanto a única) da maternidade tem a ver com as gripes, resfriados, bronquiolites e todas essas doenças que afligem nossos pequenos, especialmente quando a imunidade tá mais baixa por conta do nascimento dos dentinhos…

Com três meses, eu e Igor tivemos nosso primeiro “susto”: Davi estava com bronquiolite (dica de leitura sobre o assunto). Uma das coisas mais chatas que um recém-nascido pode ter e que pode levar até à internação. Imagina o coração da gente como fica? Passam mil e uma coisas na nossa mente. Mas, como nós sempre preferimos acreditar nos positivos e que Deus está sempre cuidando de nós, arregaçamos as mangas e fomos para a “guerra”. hehe

Davi não precisou internar, reagiu super-rápido ao tratamento básico (não chegamos a fazer cabana no berço dele, nem usar umidificador e etc) e nós, bem, nós fizemos a nossa parte, como pais amorosos, demos bastante atenção e muito carinho.  <3

Aí você pensa: “ufa… agora é continuar prestando atenção às mudanças de tempo – maiores causadoras das doenças respiratórias em bebês, especialmente em bebês com tendências alérgicas – e monitorar as reações às vacinas (coisinhas chatas também, mas que vão ficar para outro post rs) ”, que nada!!!!! Davi me pega uma catapora aos seis meses. Catapora, gente! Como assim? Ninguém ao nosso redor estava com ou com indícios, ainda que ele vá quase todos os dias para a nossa escola.

Fato é que não sabemos como ele pegou e nem de quem, mas o mais importante, mais uma vez, foi agirmos rápido, confiantes que tudo ia ficar bem e, da mesma maneira que apareceu – em pleno carnaval 0_0 – desapareceu. Davi até ficou com bastante bolinha, mas não teve coceira excessiva, quase não tem mais marquinhas e, o melhor de tudo, não teve febre!! Oba! Mais uma batalha vencida… e rapidamente!

Porém, o outono/inverno chegou e, com ele, as temidas gripes e resfriados que são bem comuns nessa época. E, mesmo com toda a atenção redobrada que eu e Igor temos – até porque o Davi acaba dormindo mal e a gente também – nosso pequeno viking está novamente gripadinho! Mas, vamos que vamos! Vamos vencer mais essa!

A verdade é que por mais que nós, mamães, saibamos que isso vai acontecer e muito ainda, nosso coração fica cortado. Só quem é mãe (ou pai, não vou tirar o mérito de papais que são presentes e que ajudam as mamães, especialmente nessas horas) sabe o que é se sentir um tanto quanto impotente, vendo seu filho cheio de coriza, tossindo, às vezes sem querer comer direito… É duro, viu?! Mas, não podemos nos deixar abater e, justamente por isso, quis vir aqui conversar com vocês sobre essas minhas experiências.

Sei que tudo vai ficar bem, ainda que meu coração teime em me deixar preocupada demais, sei que estamos cuidando dele da melhor maneira possível, que Deus está nos ajudando também e que, antes do que a gente imagina, Davizinho vai estar pronto pra outra! *Mas, por favor, que demore mais um pouquinho pra aparecer!!! rsrs*

Então, mamães e papais que me leem aqui: fiquem tranquilos. Atenção redobrada, especialmente no inverno, mas nada de se desesperar…. Vocês com certeza estão dando o melhor de vocês e isso, galerinha, é o que nossos bebês precisam sentir. Precisam sentir que são muito amados e vocês verão que logo, logo essas coisinhas chatas vão embora!

Edit: Escrevi esse post tem duas semanas, mais ou menos, e meu bebê já está melhor! Como eu falei, fizemos a nossa parte, que além de cuidados com remedinhos e nebulização, inclui muito carinho e amor, e Davizinho está bem <3, mesmo com as últimas mudanças malucas de tempo aqui no Rio de Janeiro!

Sobre o autor

Mônica Quintelas
Mônica Quintelas

Nica tem 32 anos, é mãe do Davi <3, empresária, esposa e blogueira por paixão. Nasceu na Cidade Maravilhosa, no bairro das Laranjeiras. É viciada em café e livros. Tem quase um zoológico em casa: a dash Amora e o pastor alemão Hunter, as calopsitas Bob e Belinha, e um aquário marinho - o hobby do maridão. Adora ouvir música, dançar, cozinhar, sair com os amigos, e assistir vídeos no Youtube! Acredita em Deus e seu maior sonho hoje é levar o Davi à terra natal de seus avós, Portugal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar esses marcadores HTML e seus atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Copyright © 2011-2015. Desenvolvido por String - Tecnologia e Web.