Para todos os garotos que já amei

  • Twitter
  • Facebook
  • Google+

Para todos os garotos que já amei nos apresenta Lara Jean, uma menina fofa e única, a filha do meio entre três irmãs Song. Com um estilo peculiar, onde retrô e moderno conversam entre si, Lara Jean é daquelas personagens que nos identificamos de cara, que desejamos nos tornar amigas e confidentes. <3

Desde que sua mãe falecera, Margot, sua irmã mais velha, assumira as tarefas da casa, de manter a mesma em ordem, de alimentar o pai e as irmãs; contudo, Margot decide ir atrás de seus próprios sonhos e vai estudar em uma universidade fora do país, passando o controle dos afazeres para Lara. Kitty, sua irmã mais nova, a caçula, é quem não gosta muito disso. Foi muito divertido ver as implicâncias uma com a outra, coisa de irmãos mesmo! rsrs

Josh, o garoto da casa ao lado, amigo da família e, até então, namorado de Margot é outro personagem querido. Ele é confiável, engraçado, inteligente, bonito (suas covinhas são um charme à parte <3) e… Lara Jean é secretamente apaixonada por ele há anos. Desde que se conheceram. Ela nunca foi capaz de declarar seu amor, especialmente depois que sua irmã mais velha acaba se envolvendo com ele. Quando os dois terminam, Lara fica confusa.

Apenas suas cartas, que ela guardava em uma velha caixa que pertencera a sua mãe, sabia desse e de outros amores da menina. Até que, um dia, as cartas são enviadas a todos os meninos que Lara Jean já amou. Nessas cartas, ela se declara, ela se despede, ela se liberta. É claro que Josh recebe a cartinha que fora destinada a ele e é aí que nossa divertida e fofa own história começa!

Decidida a provar para Josh que aquela paixão ficou no passado e que eles são apenas grandes amigos, Lara acaba contando com a ajuda do arrogante Peter Travinsky. Ambos fazem um acordo para fingir que estão namorando, para quebrar com as esperanças e desconfianças de seus “pares”, mas acabam se tornando amigos de verdade (e talvez até algo mais… será? hihi).

Além de toda essa pressão por conta das cartas, Lara Jean ainda tem que controlar toda a ansiedade causada pela tomada da casa, ou seja, ela precisa aprender a gerenciar os afazeres domésticos, os horários e rotinas de Kitty… tudo isso sem surtar! Aos poucos, ela vai aprendendo que não precisa ser como Margot, se tornando mais competente e confiante em relação a si.

Durante a leitura, eu não pude deixar de me divertir com as trapalhadas de Lara Jean, de torcer por seu coração encontrar o caminho de seu par ou, ainda, de me identificar de tantas e distintas maneiras com essa personagem. Na adolescência, eu tinha mania de escrever sobre meus amores e desamores; criava histórias, poemas, canções… Cartas foram poucas as que escrevi, mas elas também foram libertadoras. Acredito que quando a gente coloca para fora o turbilhão de sentimentos que levamos dentro do peito, daqueles que nos tiram o sono (ou nos fazem sonhar a noite inteira hehe), conseguimos enxergar melhor as situações e podemos aprender com elas.

Porém, não foi só com o lado romântico-afetivo que me identifiquei. Assim como Lara e suas irmãs, eu também perdi minha mãe cedo e tive que aprender a cuidar de uma casa, a resolver problemas que antes nem sabia que existiam, a ser a fortaleza do meu pai e dos meus irmãos, lidar com a perda e com os ganhos de responsabilidade ao mesmo tempo. No começo, a gente sofre, chora, surta… mas, com o tempo, as coisas vão se encaixando, você vai amadurecendo e descobrindo todo um leque de novas emoções e oportunidades.

Para todos os garotos que já amei é um romance fofo, com uma história que transcende as cartas de amor de Lara Jean. Jenny Han nos presenteia com personagens palpáveis e falhos, gente como a gente, que têm que aprender com os erros, crescer com os obstáculos e, acima de tudo, amar e ser amado.

E o final… ah, o final… a história termina da mesma maneira que começou, nos deixando ansiando loucamente pela continuação, Ps. Eu ainda amo você. #PublicaLogoIntrínseca

2 Answers

  1. Thayane Carraro
    01/08/2015 at 00:40

    Adorei a resenha… Me deu ainda mais vontade de ler o livro, tenho certeza que vou gostar muito…
    No momento estou me recuperando de “Como eu era antes de você” 🙁 rsrs

  2. Natalia Eiras
    25/07/2015 at 17:44

    Estou louca para ler este livro, mas estou segurando o dinheiro no momento. Por isso, pretendo compra-lo só na Bienal. Mas já vi vários blogs estrangeiros falando desse livro e da continuação. Dizendo que os dois são muito amor!
    #publicalogointrinseca

Leave a Reply

Your email address will not be published.
Required fields are marked *