Marcador -Família

Bicicleta Amarela

Bicicleta Amarela, o novo selo de saúde e bem-estar da Rocco, vai trazer as respostas para essas e outras questões sobre desenvolvimento pessoal, família, filhos e sexo. O que tem na cestinha dessa bicicleta? Livros de “ficção inspiracional”, lições de vida e de superação. Em resumo: novidade, com credibilidade. Especialistas em psicologia, sabedoria oriental, meditação, ioga, tendências em gastronomia, cozinha criativa, hortas urbanas e uma linha de guias de bebidas, etiqueta, turismo. Livros que fazem rir e curtir melhor nossa relação até com cães e gatos. Viagens culturais, de peregrinação, esportes radicais, novidades em decoração, do-it-yourself. A Bicicleta Amarela vai trazer tudo isso com um jeito inovador.  Com discurso e design diferenciados. Com a marca da diversidade. O texto gostoso que você espera de sua revista preferida. E a imagem da Bicicleta Amarela traduz isso: bicicletas são atemporais, têm design antigo, mas leve, clean e moderno. São sustentáveis e ecológicas, nos levam mais longe… Amarelo é a cor do sol, da energia, da iluminação, dos grandes líderes espirituais… Esses são exemplos dos rumos, novos e diferentes que a Bicicleta Amarela vai trilhar. Faz 40 anos que a Rocco lança e acompanha tendências. Não é diferente com o Bicicleta Amarela. Um selo urbano, moderno, para gente que busca um jeito de viver mais e melhor. Acredito nisso e vivo essas coisas. Estou muito feliz por estar nesse projeto e agradeço à Rocco pela chance de colocar essa bicicleta nas ruas.

Leia mais

100 Dias de Felicidade

“Não tenho nenhum feito ou mérito para ser lembrado na posteridade. Para justificar uma placa de mármore em um edifício. Uma placa diante da qual alguém passe e diga: ‘Vou ver rapidinho na Wikipédia quem era esse Battistini!’ Ainda assim, tenho uma mulher e dois filhos que amo, amigos maravilhosos, um time de garotos que dariam a vida por mim. Cometi alguns erros, farei outros ainda, mas também participei da festa. Eu também estava lá. Em um canto, talvez; eu não era o aniversariante, mas estava lá. A única tristeza foi ter que descobrir que vou morrer para começar a viver.” Esta é a história de Lucio Battistini, apaixonado pelo time de polo aquático que treina e pela família: a mulher e os dois filhos pequenos. É a história de como ele viveu os últimos 100 dias de vida com o “amigo Fritz”. E de como, contra todas as probabilidades, aqueles foram os melhores dias de toda a sua vida. Fausto Brizzi, roteirista e diretor de cinema, ganhador do Prêmio David di Donatello, em 100 dias de felicidade mistura humor e dor, ficção e franqueza para explicar o sentido de viver e o de morrer, em uma narrativa hilariante e inspiradora.

Leia mais

Copyright © 2011-2015. Desenvolvido por String - Tecnologia e Web.