Marcador -Reflexivo

1
Adeus aos personagens de John Green
2
Amy & Matthew
3
Mentirosos
4
Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo
5
O Sal da Vida
6
Tempo de Mudanças
7
Menino de Ouro: Qual é o seu segredo?
8
Cidades de Papel
9
Adeus, Por Enquanto

Adeus aos personagens de John Green

Houve um período em que fui extremamente fã de John Green. Não, eu não sabia o nome de sua esposa, local de nascimento, formação, data de criação do canal com seu irmão e outras milhares de informações que um fã pode saber sobre o autor, mas apenas gostava de sua escrita relativamente nerd e como seus personagens pareciam longe dos seus locais habituais, nada estereotipados como quietos – apesar de alguns serem descritos assim – como se sua aparência o afastassem de qualquer garota e extremamente reclusos da sociedade. Vê-lo rompendo com essa ideia de ser nerd e criando uma nova formulação, personagens que se identificam conosco – apesar de suas loucuras – foi o meu estopim para aderir os quatro livros do autor.

Leia mais

Amy & Matthew

Faz algumas semanas em que participei da maratona literária e ainda quando penso em Amy & Matthew me lembro das sensações que o livro me causou. Fiquei apaixonada, decepcionada, esperanças surgiram e ao mesmo tempo foram levadas, mas não vale deixar de acreditar em um novo recomeço e Cammie McGovern representou isso bem através dos seus personagens.

Leia mais

Mentirosos

Os Sinclair são uma família rica e renomada, que se recusa a admitir que está em decadência e se agarra a todo custo às tradições. Assim, todo ano o patriarca, suas três filhas e seus respectivos filhos passam as férias de verão em sua ilha particular. Cadence – neta primogênita e principal herdeira -, seus primos Johnny e Mirren e o amigo Gat são inseparáveis desde pequenos, e juntos formam um grupo chamado Mentirosos. Durante o verão de seus quinze anos, as férias idílicas de Cadence são interrompidas quando a garota sofre um estranho acidente. Ela passa os próximos dois anos em um período conturbado, com amnésia, depressão, fortes dores de cabeça e muitos analgésicos. Toda a família a trata com extremo cuidado e se recusa a dar mais detalhes sobre o ocorrido… até que Cadence finalmente volta à ilha para juntar as lembranças do que realmente aconteceu.

Leia mais

Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo

Em algum momento de sua vida, você já se deparou com um livro que lhe chamou atenção pelo título?? Confesso que foi assim comigo e Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo. O título me chamou atenção, assim como os pequenos detalhes da capa, e logo a sinopse fez surgir um único pensamento: “Sinceramente, preciso ler logo o livro do Benjamin e saber quais os Segredos do Universo” e aqui estou! Nascido e criado em El Paso – México, Aristóteles é um típico mexicano de 16 anos, mas esse pensamento some quando percebemos que Ari (como gosta de ser chamado) é completamente diferente do que a palavra típico (o) possa descrever. Ari não sabe nadar, não tem amigos e é considero um brigão. Por isso, tudo o que faz em seu tempo livre é pensar nos segredos que a sua família esconde, fazendo-o ficar fissurado no passado de seu irmão e nos demais segredos que o universo esconde. Em um dia de verão, Ari toma a iniciativa de ir à piscina onde começou a conhecer Dante, um universo completamente diferente do seu. Alegre, pensador e cheio de respostas para tudo, Dante se destaca com o seu típico jeito americano, tentando se encaixar na sociedade mexicana. Mesmo seus pais sendo extremamente amorosos, não conseguem suprir essa sua insegurança. Por isso, Dante acaba mergulhando no universo da arte a cada dia que passa. Aristóteles e Dante Descobrem Os Segredos do Universoé um livro que fala sobre o surgimento da amizade, lealdade, família, carinho, amor e, principalmente, a descoberta da questão do[…]

Leia mais

O Sal da Vida

O Sal da Vida – O que faz a Vida valer a pena foi escrito pela antropóloga e professora Françoise Héritier em resposta a um colega de trabalho que se pegou constrangido por “fugir” do trabalho e finalmente tirar férias na paradisíaca Isle of Skye, uma das ilhas mais bonitas da Escócia. O livro foi publicado aqui no Brasil pela Editora Valentina e tem, aproximadamente, cem páginas. Apesar de ser um livro curto, O Sal da Vida é intenso, que nos traz uma mensagem bela sobre a vida e sobre o que realmente importa. Narrado em uma espécie de poema em prosa, Françoise nos dá, através de momentos marcantes – positivos ou não – de sua vida, um “tapa na cara”, nos fazendo refletir sobre nós mesmos e sobre a nossa própria vida. No mundo de hoje, temos tido cada vez menos tempo para parar, desacelerar, e prestar atenção aos pequenos detalhes, às coisas essenciais e que nos fazem felizes. Equilibrando bem sua vida pessoal com a vida que o mundo leva nos dias de hoje, as reflexões da autora, principalmente no que diz respeito à sua doença, são comoventes. A narrativa, por ser em prosa, é de uma simplicidade incrível, nos conectando aos momentos vividos pela autora e nos levando a relembrar os nossos pequenos momentos, aqueles que fazem parte da nossa história, que nos ajudaram a ser quem nós somos hoje. Françoise vai listando suas coisas favoritas, os momentos onde teve de tomar decisões importantes, fala sobre a dor e o amor, relembra fatos de sua juventude… impossível ler[…]

Leia mais

Tempo de Mudanças

Na história, acabamos sendo apresentados à Daniel, Robyn, Lydia e Jean. Daniel, um homem que ainda não chegou aos cinquenta, mas que já tem seus dias contados. Internado, com a ajuda de sua amiga Maggie, ele passa seus dias oscilando entre a inconsciência causada pelos remédios e as lembranças de sua vida até ali. E, em um dia de consciência, ele conta para Maggie que tem quatro filhos no mundo que nunca conheceu. Agora, tudo que ele queria era poder conhecê-los. Assim, Maggie começa a busca pelos quatro filhos de Daniel. Robyn tem 18 anos, é completamente diferente de sua mãe e sabe que é fruto de uma inseminação artificial. Ela evita o assunto o máximo possível, mas sonha em seguir os passos do seu pai desconhecido: por ter acesso à uma ficha de informações, a menina passa seus dias tentando imaginar como ele seria, e tenta espelhar seu destino com a perspectiva de ser filha de um médico francês (algo que constava na ficha dele). Lydia já é uma mulher. Ela é bem sucedida, mal sabe lidar com o dinheiro que tem, e já passou por muita coisa na vida pra chegar aonde está. Sua mãe morreu quando ela tinha 4 anos e, desde então, ela é criada por seu pai, com quem nunca teve muita afinidade. Um dia, depois que seu pai morre, ela recebe um pacote com documentos que mostram que ela, na verdade, era o resultado de uma inseminação artificial. Então, Lydia tem que decidir como lidar com a informação e como seguir com a sua vida, percebendo que muitas[…]

Leia mais

Menino de Ouro: Qual é o seu segredo?

Sempre fico antenado nas novidades do mundo infanto-juvenil e, quando vi o post da Daiane sobre o livro, foi inevitável não ficar curioso e querer conferir sua proposta. Através de uma parceria com a Editora Globo, isso foi possível. Agradeço, novamente, à equipe mega atenciosa pela oportunidade. Toda fase da vida terá sua vantagem e desvantagem. Mas, quando estamos entre nossos dez e vinte anos, é uma fase bem sensível, em minha opinião, pois é quando temos que descobrir, aprender, assimilar e tentar achar um ponto de equilíbrio nessa selvageria toda. Há os dilemas normais da vida e os que nos são “apresentados” pela convivência em sociedade. E um deles é ser “diferente”. Com toda essa conversa sobre sexualidade e bullying, acaba sendo um tema em evidência essa questão de ser “diferente”. E, infelizmente, demoramos muito tempo para entender que ser diferente é algo bom. Esse entendimento demora para chegar porque o processo é longo e muitas vezes doloroso. Minha teoria é que há muita gente sem objetivo de vida. Quando se tem objetivo e opinião própria, você pode não concordar com tudo e/ou achar estranho, mas vai sempre respeitar e tratar bem a pessoa/situação. Todo mundo vai ter um problema, às vezes mais de um. Eu, por exemplo, sou bem acima do meu peso normal e isso sempre abriu brecha para piadas e zoações. Tirando a questão de saúde, qual o problema em ser gordo? O problema é bem simples: não é normal. A moda, a  televisão, os ônibus, os carros, as roupas, filmes e um[…]

Leia mais

Cidades de Papel

Desde que comprei Cidades de Papel na Bienal do Livro no Rio de Janeiro, eu fiquei namorando o livro durante um tempo na minha estante e, quando comecei a minha leitura, fiquei pensando “Vou tentar ter uma leitura bem lenta”, porém, com John Green é algo impossível. John Green nos apresenta Quentin, um jovem simples que fora criado por seus pais psicólogos e que se orgulha pelos únicos planos do seu filho serem: não faltar à escola, se formar, ir para uma boa faculdade e ,no futuro mais próximo, constituir uma boa família. Entretanto, apesar de Quetin acreditar nas mesmas coisas que seus pais, ele acredita acima de tudo em Margo Roth Spiegelman. Margo, diferente de Quetin, é uma menina que não pensa em seu futuro. Na verdade, tudo o que ela deseja é viver o agora. Entretanto, quando as personagens tinham dez anos acabaram achando no parque próximo de suas casas um homem morto o que levou Margo a desenvolver a teoria de fios soltos, o que fez os jovens seguirem caminhos bem diferentes. Porém, os caminhos acabam se encontrando novamente quando Margo descobre que é traída por seu namorado e por seus amigos, o que a leva a se vingar de cada um em grande estilo e tudo isso com a ajuda de Quentin. Mas, depois de sua vingança, Margo acaba desaparecendo deixando algumas pistas para que Q. possa lhe achar. Cidades de Papel é o segundo livro que leio do John Green e, após ficar maravilhada com A Culpa é das Estrelas, comecei a minha leitura indo com muita sede ao pote, o que acabou se transformando[…]

Leia mais

Adeus, Por Enquanto

Para quem ainda não sabe, tenho formação de técnico em informática e faço Sistemas de Informação; então, nem preciso dizer o quanto gostei desse livro. Parece bobeira, mas é muito legal ver a informática na literatura e de forma tão legal. O livro foi uma grande surpresa. Quando chegou, nem lembrava que ele estava para chegar e, mesmo tendo lido a sinopse há um tempo atrás, me surpreendi com a história quando a reencontrei. Aproveito também para deixar meus parabéns para a equipe que cria as capas da editora Companhia das Letras, são todas (dos livros que li) muito bem feitas. Para não criar mais suspense, afirmo desde já que Adeus, por enquanto é um livro que vale muito a pena ser lido. “Vou te amar para sempre” “Até que a morte os separe” (?????) Quantas frases mais você conhece sobre amor eterno? Paixão sem limite e avassaladora? E mesmo que muitas vezes não se concretize, de certa forma é justo; as sensações, vontades e desejos são honestos no momento em que ocorrem. Mas, esse livro não fala de paixão. Pelo contrário, fala sobre amor. O amor presente em várias vertentes, que move, que impulsiona, que começa mesmo quando a paixão é curta. O amor pré-destinado a existir. Apesar de não acreditar em destino, acho legal quando sentimos que ele existe – seja na vida real ou na literatura -, aquela sensação de infinito e convergência, é muito especial e devemos aproveitar quando acontece. Pensando bem, é legal quando parece que o DESTINO está conversando com a gente, tira[…]

Leia mais

Copyright © 2011-2015. Desenvolvido por String - Tecnologia e Web.