Tudo (na vida) Passa

Pensando sobre relacionamentos, laços afetivos e coisas do tipo, percebi que na vida nada é para sempre, nada é e nem pode ser eterno. Nós não somos eternos! Por que os amores, as paixões, as amizades seriam? Por que os sofrimentos, as dores, as perdas seriam? Não podemos nos prender ao passado. Nunca! Quem vive de passado é museu, já dizia um amigo meu. Quer dizer, um colega de trabalho que hoje nada mais é que um conhecido. Viu só?! As pessoas passam na nossa vida também. Não só o lado afetivo ou sentimental muda; mas o lado pessoal ou físico muda também. E muda tudo junto, ao mesmo tempo.

por-do-sol-indiano-com-meninos-correndo_2855337

Acho que tô parecendo muito dramática e tal mas, infelizmente, tudo isso é pura verdade. Pura realidade. Já parou pra pensar na quantidade de pessoas que passaram pela sua vida?! Na quantidade de emoções que algumas delas podem ter despertado?! Nada e nem ninguém é eterno. Nada e nem ninguém é uno. Enfim, pessoas são substituíveis. Hoje eu posso ser importante pra você mas, amanhã, corro o risco de você passar por mim na rua e fingir não me re-conhecer. Doloroso? Sim. Mas é realidade. Já pensou o caos que seria a vida daqueles que nos rodeiam se não fôssemos substituíveis?! O mundo seria triste. Mais triste do que já é. Imagine: Quantas pessoas já não se decepcionaram com alguém, seja um amigo ou um amor?!

A vida continua. O tempo continua. Correndo. E é assim que as pessoas têm enfrentado o mundo. Alguns laços têm sido evitados; outros, rompidos. Tudo por medo do amanhã. O amanhã assusta, apavora. Quem nunca parou pra pensar o que seria da sua vida sem a pessoa X ou sem a pessoa Y?! Faço idéia do susto que tenha tomado quando percebeu que seu mundo ficaria sem chão. Pra evitar que isso aconteça, as pessoas têm criado barreiras. Por mais que alguém diga que ama ou que adora, no fundo, ela não ama ou adora o tanto quanto poderia. Parece que tô falando besteira, mas não. Basta olhar ao redor…

No mundo de hoje, a quantidade de jovens (e até adultos) que preferem ficar a namorar é imensa. São os famosos tribalistas. Aqueles que querem, ou melhor, preferem viver a vida em liberdade, saltando de pessoa em pessoa sem se amarrar afetivamente com alguma delas. Perceberam que me corrigi acima quando disse que eles preferem essa “liberdade” a se “prender”. Sim. Eles preferem, não quer dizer que é o que realmente querem. Tá! Acredito que muitos preferem e querem. É mais cômodo. De repente, fica até mais bonito se pensarmos que o ser humano precisa se auto-afirmar, principalmente quando se encontra no meio de um grupo.

Uma coisa errada é esse conceito tolo de que quem ama/namora se prende. Amor é liberdade. Não escravidão. Muitos relacionamentos são verdadeiras prisões, infelizmente. Muitos acabam mal. E, normalmente, as pessoas que passaram por essa experiência são aquelas que hoje vivem como tribalistas, solteiros assumidos que não se deixam amar ou ser amado, pulando de “galho em galho”, sem destino certo. Não tenho nada contra quem adota essa política na vida, não mesmo! Cada um tem o direito de agir como bem entende. Cada um sabe a experiência que teve que lidar. Não sou eu que vou criticar. Mas, amar e ser amado de volta é tão bom e faz um bem danado! 

Ainda que não sejamos eternos, que tudo na vida realmente passe, incluindo algumas pessoas, não devemos nos deixar ser levados pelo medo da dor, da desilusão, da morte… Devemos aproveitar ao máximo o dia de hoje. É hoje que você tem essas pessoas especiais ao seu lado. É hoje que você pode mudar  o dia de um amigo simplesmente por mandar um “Oi. Tudo bem?” no Whatsapp. É hoje que você pode se apaixonar e descobrir a maravilha que é ter alguém que te ama e que se preocupa com você, de verdade, ao seu lado. Tudo na vida passa, mas podemos remar contra essa maré chamada Tempo e aproveitar o Momento. Afinal, a gente não sabe como será o amanhã, apenas o hoje!

bela-vista-nightfall_426-19324050

Sobre o autor

Mônica Quintelas
Mônica Quintelas

Nica tem 32 anos, é mãe do Davi <3, empresária, esposa e blogueira por paixão. Nasceu na Cidade Maravilhosa, no bairro das Laranjeiras. É viciada em café e livros. Tem quase um zoológico em casa: a dash Amora e o pastor alemão Hunter, as calopsitas Bob e Belinha, e um aquário marinho - o hobby do maridão. Adora ouvir música, dançar, cozinhar, sair com os amigos, e assistir vídeos no Youtube! Acredita em Deus e seu maior sonho hoje é levar o Davi à terra natal de seus avós, Portugal.

Apenas um comentário =(

Deixe um comentário =)
  • Nica, que texto lindo.
    Tudo que você falou é a mais pura verdade.
    Quantas pessoas já não passaram pela minha vida, quantos amigos não falo nem pelo whats.
    Amar não é ser preso, infelizmente tem relacionamentos assim, mas não são todos.
    Amar é aproveitar a companhia do outro e tudo que vem dessa relação.
    Temos que aproveitar cada instante, pois a qualquer momento podemos não ter mais.

    Lisossomos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar esses marcadores HTML e seus atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Copyright © 2011-2015. Desenvolvido por String - Tecnologia e Web.