Uma Longa Queda

  • Twitter
  • Facebook
  • Google+

O interesse por Uma Longa Queda veio após eu assistir o trailer do filme. Ainda não assisti à adaptação, mas acredito que irei gostar. Essa leitura foi ainda é uma experiência estranha. O autor é bem comentado e, eu gostei do que li. Só senti falta daquela coisa que me faz amar demais um livro. Li Uma Longa Queda há algum tempo, mas não tinha conseguido fazer a resenha ainda. Li outras resenhas, folheei o livro… e ainda não entendo bem meu sentimento em relação ao mesmo. É muito bom e eu gostei, mas senti falta de algo. Quando paro e reflito, me pergunto o que falta ali e não acho a resposta. Sinto que não tem resposta! haha. Alguém já passou por isso? Não tô sabendo lidar!!!!

capa

É muito fácil pensar na morte como solução quando tudo dá errado, mas isso é o que menos queremos lá no fundo (a não ser que você realmente tenha tendências suicidas e, neste caso, eu indico um psicólogo/psicanalista. Eles são muito bons!). Esses dias, assisti um dorama em que as pessoas tentavam o suicídio depois de algumas frustrações comuns como, por exemplo, ter um amor não correspondido. Me assustei um pouco com isso, mas quantas pessoas não veem a morte como solução? Uma Longa Queda trata disso de uma forma natural, sem aquele drama ou culpa maçante. É um livro leve, que me arrancou boas risadas e reflexões.

O livro é dividido em três partes. É narrado em primeira pessoa, intercalando o ponto de vista das quatro personagens. O Nick Hornby arrasa demais, demais, demais! A forma como ele conta a história dos quatro, pelo ponto de vista de cada um, faz a gente entender bem a visão de mundo deles, a forma como lidam com as coisas e os motivos para terem ido àquele terraço na noite de ano novo. Pelo que li do autor, uma das suas marcas registradas é o humor. E não poderia ser diferente em seu melhor livro de acordo com Sunday Times.

trecho

É legal quando há uma identidade visual forte nos livros de um autor. Procurei outros títulos do Nick Hornby lançados pela Companhia das Letras e as capas são no mesmo estilo. Gosto disso. Sobra a edição: nada de reclamações.

Recomendo para qualquer um que se interessar pela história, haha. A verdade é que não sei para quem recomendar. Acredito que a oportunidade dessa leitura não deve ser ignorada, pois as chances de arrependimentos são baixas ou nulas. Acho que gostei mais do livro do que imaginava, rs. Deu vontade de ler? Comente!

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados *